Notificações
Você não tem notificações no momento.
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Líquen plano

O líquen plano é uma doença inflamatória que afeta a pele, unhas, couro cabeludo e mucosas. As lesões provocadas pela doença podem provocar coceira.

Lesões causadas por líquen plano na região do antebraço.
O líquen plano desencadeia lesões que podem provocar coceira.
Imprimir
Texto:
A+
A-
Ouça o texto abaixo!

PUBLICIDADE

O líquen plano é uma doença inflamatória crônica que pode acometer a pele e também as mucosas. Apesar de sua etiologia não ser bem conhecida, o surgimento das lesões apresenta relação com alterações no sistema imunológico, sendo desencadeadas por um processo autoimune mediado por células T.

As lesões provocadas pelo líquen plano podem apresentar-se como caroços de cor violeta, os quais provocam coceira. No couro cabeludo, podem provocar perda de cabelo e, nas unhas, podem desencadear ondulações e surgimento de faixas vermelhas. Na boca, as lesões surgem principalmente na parte interna das bochechas, língua e gengiva.

O líquen plano pode ser diagnosticado por meio da análise das lesões e realização de exames histológicos. O tratamento é feito com uso de corticoides e não visa à cura do paciente.

Leia também: Lúpus — doença inflamatória autoimune que não apresenta causa conhecida

Tópicos deste artigo

Resumo sobre líquen plano

  • O líquen plano é uma doença crônica e inflamatória.

  • Pode afetar a mucosa oral, genital, pele, unha, entre outras regiões.

  • Atinge entre 0,5% a 5% da população adulta.

  • Nas unhas, pode provocar ondulações, coloração marrom ou faixas vermelhas longitudinais.

  • No couro cabeludo, pode provocar coceira e perda de cabelo.

  • Na região oral, pode provocar dor, coceira e queimação.

  • O tratamento não visa à cura da doença e é feito com o uso de corticoides.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é o líquen plano?

O líquen plano é uma uma doença inflamatória e crônica que causa lesões que podem se manifestar em diferentes partes do corpo, como pele, couro cabeludo, unhas e mucosa oral, genital, ocular, lacrimal e do trato gastrointestinal. Pode acometer pessoas de qualquer idade e sexo, estando presente em aproximadamente 0,5% a 5% da população adulta.

Vale salientar, no entanto, que a doença apresenta uma maior predileção pelas mulheres, acometendo duas vezes mais esse público do que os homens. Além disso, ocorre com mais frequência em pacientes com idade compreendida entre os 30 e 60 anos.

A origem da doença ainda não é bem esclarecida, porém o surgimento das lesões está associado a um processo autoimune mediado por células T desreguladas, que provocam uma resposta imune com agressão do epitélio de revestimento, em especial na camada basal. São considerados fatores de risco para o desenvolvimento da doença dislipidemia (condição marcada pelo aumento da taxa de lipídios), infecções virais, infecção pelo vírus da hepatite C, estresse, ansiedade e doenças autoimunes.

Sintomas do líquen plano

Como salientado anteriormente, o líquen plano pode atingir tanto a pele quanto as mucosas, incluindo-se a mucosa oral, genital, ocular, lacrimal e do trato gastrointestinal. No que diz respeito ao líquen plano que acomete a pele (líquen plano cutâneo), ele forma lesões que se apresentam, mais comumente, como pápulas (pequeno caroço elevado) poligonais e violáceas (de cor violeta). As lesões cutâneas são descritas, geralmente, usando os “6 Ps”: pápulas, placas, planas, poligonais, pruriginosas e violáceas.

Cerca de 10% dos pacientes com líquen plano apresentam lesões que acometem as unhas e o couro cabeludo. No couro cabeludo, surgem pápulas violáceas que provocam coceira. Essas lesões podem progredir para a perda de cabelo caso não sejam tratadas. Nas unhas, o líquen pode provocar ondulações, queratose subungueal, atrofia da matriz ungueal, hiperpigmentação subungueal e eritroníquia (faixas vermelhas longitudinais na unha) ou melanoníquia (alteração da cor da unha devido ao acúmulo de melanina).

Região com perda de cabelo em couro cabeludo em decorrência de líquen plano.
O líquen plano pode provocar a perda de cabelo.

O líquen plano oral desencadeia lesões, principalmente na região interna da bochecha, língua e gengiva. As lesões apresentam-se de diferentes formas, podendo, em alguns casos, provocar coceira, queimação e sensação dolorosa. Algumas lesões do líquen plano oral podem demorar para cicatrizar ou serem persistentes, apresentando risco de se tornarem câncer.

Leia também: Artrite reumatoide — doença autoimune que acomete principalmente a região das articulações

Diagnóstico de líquen plano

O líquen plano pode ser identificado por meio de exame clínico e histológico. Os exames histológicos são exames em que se faz uma análise microscópica dos tecidos a fim de detectar possíveis alterações.

Tratamento do líquen plano

O líquen plano apresenta tratamento, mas não visando à cura. Atualmente, os corticoides são as drogas escolhidas para o tratamento do problema. O tempo, a dosagem e se os corticoides a serem utilizados serão tópicos ou sistêmicos são decisões que são tomadas pelo(a) médico(a) com base no estado do paciente e da gravidade da doença.

Fontes:

MIRANDA, A.S; SANTOS, I.C.; CONCEIÇÃO, W.M.G.; SANTOS, H.B.P. Manifestações clínicas e opções terapêuticas do líquen plano oral: uma revisão de literatura. Odontol. Clín.-Cient., Recife, 20(1) 55 - 61, Março, 2021. Disponível em: https://www.cro-pe.org.br/site/adm_syscomm/publicacao/foto/409ec762bf61d20d83542a2cd7bfea15.pdf.

MIRANDA, J.A.; VAL, I.C.C.; ABRAHÃO, S.C.; ZANIBONI, B.C.; FONSECA, F.F.; GUIMARÃES, R.V.; LOYOLA, P.; VELLOSO, A.P.M. Os três líquens: escleroso, plano e plano erosivo. FEMINA, Março/Abril 2014, vol 42, nº 2. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2014/v42n2/a4796.pdf.

REBELO, M.S.R. Líquen Plano e Esquemas Terapêuticos: Estudo Epidemiológico no Centro Hospitalar Lisboa Norte (HSM) referente ao período 2008-2017. Dissertação (Mestrado Integrado em Medicina Dentária), Universidade de Lisboa, 2019.

PORTO, S.S. Líquen plano oral e doenças sistêmicas: associação casual ou causal? Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde). Universidade de Brasília, 2021. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/42008/1/2021_SuzeliSampaioPorto.pdf.

NASILOWSKI, M., KAIPER, J. L., PEIXOTO, J. G. T., ASSMANN, G. A., MASSOCCO, V., TORTATO, I. L., DIRSCHNABEL, A. J., & RAMOS, G. DE O. (2018). Líquen plano: importância de um histórico familiar. Ação Odonto. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/acaodonto/article/view/17266.

SILVA, S.S.; MEIRELES, C.; COSTA.F.; CARVALHO, S. Líquen plano: a história de uma cooperação de sucesso. Rev Port Med Geral Fam 2016;32:131-5. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/317470081_Liquen_plano_a_historia_de_uma_cooperacao_de_sucesso/fulltext/5bc143f3458515a7a9e6b544/Liquen-plano-a-historia-de-uma-cooperacao-de-sucesso.pdf. 

Escritor do artigo
Escrito por: Vanessa Sardinha dos Santos Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Goiás (2008) e mestrado em Biodiversidade Vegetal pela Universidade Federal de Goiás (2013). Atua como professora de Ciências e Biologia da Educação Básica desde 2008.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Líquen plano"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/liquen-plano.htm. Acesso em 21 de junho de 2024.

De estudante para estudante