Topo
pesquisar

Sete erros mais comuns cometidos no estudo de Física

Física

Existem erros comuns cometidos em Física em virtude de conceitos mal interpretados. As relações entre massa e peso, bem como temperatura e calor, podem ser exemplos.
PUBLICIDADE

Existem alguns conceitos em Física que costumam ser confundidos e/ou mal interpretados, gerando dúvidas e tornando-se uma pedra de tropeço no estudo dessa ciência. Veja abaixo os sete erros mais comuns cometidos no estudo de Física.

1) Massa é igual a peso

Em nosso cotidiano, é comum escutarmos frases como “meu peso é de 50 kg”. Para aplicações diárias, essas frases não apresentam erro, mas 50 Kg é a massa de um corpo, e não o peso. Peso e massa são duas grandezas completamente diferentes!

A massa é uma grandeza escalar que é a medida quantitativa da inércia de um corpo. Pode ainda ser definida como a quantidade de matéria de um corpo. Já o peso é a força com a qual os planetas atraem os corpos que estão em sua superfície ou próximos a eles.

Qualquer objeto na superfície da Terra está submetido à ação de uma força que, em uma queda livre, acelera-o a 9,8 m/s2. Essa força é a chamada força peso e pode ser definida, por meio da Segunda lei de Newton, como resultado da multiplicação da massa do corpo pelo valor da gravidade:

P = m.g

Para saber mais, leia os textos Peso x massa e Diferença entre massa e peso.

2) A força normal é reação da força peso

A força normal surge sempre quando um objeto está sobre uma superfície e é entendida como a força que a superfície faz para suportar o peso do objeto. Essa definição conduz-nos ao erro grave de pensar que a força normal, de acordo com a Terceira Lei de Newton, é uma reação à força peso. A Terceira Lei de Newton prevê que a ação e a reação ocorrem em corpos diferentes. Como o peso é uma força feita pelo planeta sobre o corpo, e a Normal é uma força feita pela superfície sobre o corpo, essas forças atuam sobre o mesmo elemento e, por isso, não compõem um par de ação e reação.

3) Esquecimento das unidades de medida

As unidades de medida possuem papel fundamental, pois caracterizam as diversas grandezas existentes no mundo da ciência. Quando uma unidade de medida é esquecida, a grandeza retratada perde completamente a sua identidade. O Sistema Internacional de Unidades (SI) define a unidade de medida usual para cada uma das diversas grandezas utilizadas.

Existem elementos que são adimensionais e, por isso, não possuem unidade de medida. Esse é o caso dos coeficientes de atrito estático e dinâmico.

4) Existem apenas três estados físicos da matéria

Quando a pergunta é “Quais são os estados físicos da matéria?”, a resposta é rápida e clara: sólido, líquido e gasoso. Todavia, não existem apenas três estados físicos da matéria!

Podemos citar a existência de pelo menos mais um estado físico da matéria, o plasma. Quando elétrons de um material separam-se de seus núcleos, criando uma espécie de gás condutor elétrico, dizemos que o estado dessa substância é plasmático. Lâmpadas fluorescentes e aparelhos de TV são exemplos de equipamentos em que existe plasma.

5) Temperatura e calor são a mesma coisa

É muito comum confundir as definições de calor e temperatura. A temperatura indica se um corpo está quente ou frio. Cada valor dessa grandeza representa o grau de agitação molecular de um corpo. O calor é a quantidade de energia que transita entre dois corpos quando há diferença de temperatura. Portanto, temperatura e calor são conceitos distintos!

6) A questão do tempo de queda

Será que um martelo e uma pena, quando abandonados em uma mesma altura, podem chegar ao chão juntos? A resposta é sim!

O senso comum induz-nos a pensar que, se um objeto pesado for abandonado na mesma altura que um objeto leve, o pesado deve chegar ao chão primeiro, pois a sua massa é maior. Todavia, a equação para o movimento de queda livre dos corpos independe da massa. A prova desse fenômeno foi dada por Galileu Galilei, que observava a queda de objetos de massas diferentes abandonados propositalmente do alto da torre de Pisa. É claro que o tempo de queda do martelo e da pena serão iguais somente se a resistência do ar for desconsiderada.

7) O atrito é sempre oposto ao movimento

Ao estudarmos o atrito, somos levados a pensar que essa força sempre atua de forma oposta ao movimento dos corpos, mas a história não é bem assim! Quando caminhamos, fazemos uma força com nosso pé de apoio para trás e, consequentemente, por meio da lei da ação e reação, somos empurrados para frente pela força de atrito, que, nesse caso, possuirá mesmo sentido que o movimento.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

JúNIOR, Joab Silas da Silva. "Sete erros mais comuns cometidos no estudo de Física"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/fisica/sete-erros-mais-comuns-cometidos-no-estudo-fisica.htm>. Acesso em 27 de abril de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA