Topo
pesquisar

Tétano

Doenças e patologias

PUBLICIDADE

O tétano é uma doença infecciosa e não contagiosa, causada pela toxina da Clostridium tetani - uma bactéria gram-positiva e anaeróbica, que penetra no organismo via lesões da pele e provoca espasmos nos músculos voluntários, principalmente os do pescoço, sendo que os músculos respiratórios podem ser atingidos, causando a morte por asfixia.

A bactéria pode ser encontrada no ambiente em forma de esporos, no solo, causando o tétano em pessoas de qualquer idade. O período de incubação pode atingir até aproximadamente três semanas, sendo que quanto menor o período de incubação, maior será a gravidade da doença.

Um dos primeiros sintomas dessa moléstia é a dificuldade em abrir a boca e engolir. Irritabilidade, cefaleia, febre e deformações fisionômicas no rosto são sintomas que podem vir em seguida.

O esquema de vacinação, que inclui a vacina antitetânica, é uma das principais formas de prevenir a doença: a vacina tetravalente (tétano, coqueluche, difteria e meningite B) é administrada em três doses, aos dois, quatro e seis meses com dois reforços pela DTP (tétano, coqueluche e difteria) aos 15 meses e entre 04 e 06 anos.

Vale ressaltar que após esse esquema inicial ou para adolescentes e adultos que nunca se vacinaram contra o tétano é indicada a vacina dupla adulto dT e esta deve ser reforçada a cada 10 anos.

Cuidar dos ferimentos (lavando-os com água e sabão e retirando possíveis corpos estranhos - como terra e fragmentos de madeira) é essencial para sua prevenção, mesmo para quem esteja com as vacinas em dia.

Para tratamento da doença é necessária a internação do paciente, durando aproximadamente três a quinze semanas. A administração de imunoglobulina - ou soro antitetânico na ausência desta deve ser feita. Aquela é preferível a esta pelo fato de que o soro pode causar reações alérgicas.

Antibióticos, limpeza cirúrgica do ferimento com fármacos que retiram a condição de anaerobiose, como a água oxigenada, relaxantes musculares e sedativos são também utilizados a fim de curar o indivíduo.

O tétano pode ser fatal e, por tal motivo, estar atento aos sintomas e buscar ajuda médica em casos de suspeita são atitudes essenciais.

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE:
A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

ARAGUAIA, Mariana. "Tétano"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/doencas/tetano.htm>. Acesso em 04 de maio de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA