Topo
pesquisar

09 de Agosto – Data da Morte de Herbert de Souza (Betinho)

Datas Comemorativas

Herbert de Souza, o Betinho, ficou reconhecido pela sua grande trajetória de luta contra as injustiças sociais. Hemofílico e portador do HIV, morreu em 09 de agosto de 1997.
PUBLICIDADE

Nascido em Bocaiuva, Minas Gerais, em 03 de novembro de 1935, Herbert José de Souza, ou Betinho, como era mais conhecido, foi o quarto filho do casal Henrique Souza e Maria da Conceição Figueiredo. A família sofria com uma grave doença genética, a Hemofilia, que levou a óbito, primeiramente, seu irmão mais velho, que nem havia completado dois anos de idade, em um acidente doméstico em que o sangramento de um corte não pode ser estancado.

Betinho cresceu em meio à realidade rural do interior de Minas Gerais, onde testemunhou, no trabalho do pai, que chefiava o almoxarifado de uma prisão agrícola, as dores das desigualdades sociais. Passou a morar em Belo Horizonte em 1950, onde recebeu tratamento para a hemofilia e onde também viria a ser acometido por tuberculose.

Foi também em Belo Horizonte que Betinho iniciou o seu caminho de lutas sociais. Em 1960, ajudou a fundar a Ação Popular, organização de cunho político e social que acreditava na transformação social rumo aos ideais socialistas. Em 1962, formou-se na Universidade Federal de Minas Gerais como sociólogo.

Seu engajamento político foi além entre 1961 e 1964, pois Betinho envolveu-se na luta política contra o Golpe Militar e acabou indo para o Uruguai em busca de exílio. Após um ano no exílio, retornou clandestinamente ao país, onde permaneceu ilegalmente e escondido dos agentes da ditadura. Retornou ao exílio em 1971, quando o governo militar endureceu suas ações de repressão e de perseguição, mas refugiou-se, dessa vez, no Chile. Betinho foi homenageado na canção “O bêbado e a equilibrista”, da parceria de João Bosco & Aldir Blanc e interpretada por Elis Regina. A menção, na música, que se faz a ele é a seguinte: “Que sonha com a volta do irmão do Henfil”, referindo-se a um dos seus irmãos, o cartunista Henrique de Souza Filho, também conhecido como “Henfil”.

No Chile, Betinho viu-se diante de outra ditadura, a do general Augusto Pinochet, o que o levou novamente em busca de refúgio, dessa vez no Panamá. Em seguida, ele partiu para o Canadá, onde viveu e trabalhou as ideias que se tornaram o ponto de partida da formação do Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas), que foi fundado em 1981, quando Herbert de Souza finalmente retornou ao país.

O ex-aluno da Faculdade de Administração e Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais tornou-se símbolo da luta pela anistia dos presos e condenados políticos. Seu retorno foi marcado pela sua atuação no Ibase como um pesquisador social que buscava apoiar os movimentos sociais e democratizar a informação e a comunicação. Suas iniciativas geraram vários frutos importantíssimos: de avanços nas discussões sobre a reforma agrária e o combate ao racismo até a criação do primeiro provedor de acesso à internet no país, o Alternex.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em 1988, a hemofilia vitimou seus outros dois irmãos, que também eram portadores da doença. Henrique de Souza Filho e Francisco Mário de Sousa, ou Chico Mário, padeceram da Aids contraída nas transfusões de sangue que recebiam como forma de tratamento da hemofilia. Betinho descobriu que também era portador do vírus HIV, contraído da mesma forma que a dos seus irmãos. A partir disso, tornou-se um dos maiores ativistas pela conscientização e luta pela aquisição de direitos para os portadores da doença, como a disponibilização gratuita dos medicamentos usados no tratamento.

Em seus últimos anos de vida, Betinho lutou como grande afinco pelas causas que acreditava. Participou ativamente do processo de impeachment do então presidente Fernando Collor e foi um dos integrantes do Movimento pela Ética na Política. Foi ainda um dos fundadores da Ação da Cidadania Contra a Miséria e pela Vida, organização voltada para o combate à fome e à miséria no país. Também participou da fundação do Viva Rio, um movimento que se dedica ao combate à violência e à busca pela justiça social.

A figura de Herbert de Souza tornou-se emblemática dentro do universo das lutas pelos direitos humanos e ele até mesmo chegou a ser indicado ao Prêmio Nobel da Paz. Hemofílico e portador do HIV, faleceu no dia 09 de agosto de 1997, no Rio de Janeiro.

Seu nome ainda é lembrado como um dos maiores atores nas lutas pelas melhorias de condição social para aqueles que vivem desamparados. Sua história e a de seus irmãos, que também foram grandes figuras nos diferentes ramos a que se dedicaram, está retratada no documentário “Três irmãos de sangue”, que mostra, de maneira admirável, a trajetória de sofrimento, coragem, luta por justiça social, enfrentamento diante de uma ditadura e enorme compaixão pelo sofrimento alheio.


Por Lucas Oliveira
Graduado em Sociologia

Capa do livro Revoluções da minha geração – Herbert de Souza. Ed Moderna
Capa do livro Revoluções da minha geração – Herbert de Souza. Ed Moderna

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

RODRIGUES, Lucas de Oliveira. "09 de Agosto – Data da Morte de Herbert de Souza (Betinho)"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/09-agostodata-morte-herbert-souza-betinho.htm. Acesso em 08 de dezembro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola