Fundo Menu
Whatsapp icon Whatsapp
Copy icon

Saudade do Sertão

Imprimir
Texto:
A+
A-

PUBLICIDADE

Saudades do Sertão

Eu nasci detrás daquela serra,
Na virada do estradão;
Inda trago o cheiro da terra
guardado no coração.

“É tarde, eu já vou indo,
preciso i’mbora, té manhã.
Mãe disse quando eu saí
“Filhinha, não demore”. (*)

Inda ouço o cantar da morena formosa,
toda faceira, cheia de prosa,
lá pras bandas do ribeirão.

“Piu-piu, passarinho,
chô-chô sabiá,
não deixa meu bem penar”. (**)

Também gente indo pra roça,
passando pela estrada;
às vezes, alta madrugada,
já começava a escutar.

Hoje vivo aqui sozinho,
não vem nem um passarinho
trazer notícia de lá.

Então me bate a lembrança
e eu choro aqui sentado;
pra manter viva a esperança
o dia todinho eu sonho acordado.

Durante o dia meu sertão é tão bonito.
O tempo passa calado pra não quebrar
a harmonia que a Natureza enfeixa;
sem fazer queixa, à tarde o Sol vai se deitar.

Durante a noite as estrelas mui brilhantes
vão novamente a Natureza emoldurar;
com fascinantes pinceladas de candura
a alva pura também vai colaborar.
Quando terminam se reúnem no horizonte,
ao Sol levante ela vão anunciar:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Pronto, Mestre Radiante,
recompomos a feição
do seu dia deslumbrante
com a nossa inspiração.
Do seu trono fulgurante
mande que o galo cante
pra despertar o sertão.

Então desponta a manhã tão sonolenta.
Qual princesinha graciosa aberta em flor,
inda boceja,
desnudando a beleza,
do seu perfume espargindo todo o ardor.

Essas imagens desde há muito me fascinam,
me recriminam, me convidam a voltar,
soltar as asas, libertar o pensamento,
(Que sofrimento, como é triste recordar!).

Choro quando a Estrela D’Alva
faz surgir o seu clarão;
sua luz aponta a estrada
indicando a direção.
Ela inda me diz baixinho:
Anda, segue o teu caminho
que eu clareio o estradão.

(*) trecho de domínio público;
(**) trecho de autor ignorado.

João Cândido da Silva Neto
Colunista Brasil Escola.com
candidojooneto@yahoo.com.br

Literatura - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DANTAS, Gabriela Cabral da Silva. "Saudade do Sertão"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/literatura/saudade-sertao.htm. Acesso em 09 de agosto de 2022.

De estudante para estudante


Qual o nome do cachorro de Vidas Secas?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

Capitu traiu Bentinho?

Por Brasil Escola
Responder
Ver respostas

PUBLICIDADE

Estude agora


Função Modular

Nesta videoaula veremos como construir o gráfico de uma função modular.

Transgênicos

Se tornou bastante comum a utilização de alimentos transgênicos em nossa alimentação. Alguns produtos são...