Romênia

A Romênia é um país de 19 milhões de habitantes localizado nos Bálcãs, com capital na cidade de Bucareste. Seu território é marcado pela presença da cordilheira dos Cárpatos.

A Romênia é um país do Leste Europeu, pertencente à Península dos Bálcãs. Tem como capital a cidade de Bucareste. Dispõe de clima temperado continental e relevo heterogêneo, marcado pela presença da cadeia montanhosa dos Cárpatos e de uma extensa planície na região da Transilvânia.

A população romena supera os 19 milhões de habitantes, com pouco mais da metade vivendo na zona urbana. A economia é liderada pelo setor terciário, com destaque para as atividades turísticas e para o comércio.

Leia também: Quais são os países da Europa?

Resumo sobre a Romênia

Dados gerais da Romênia

Confira no nosso podcast: Países mais e menos ricos do mundo

Mapa da Romênia

Mapa da Romênia

Geografia da Romênia

A Romênia é um país localizado na região Sudeste da Europa, mais precisamente na Península dos Bálcãs, e tem como capital a cidade de Bucareste. Dispõe de um estreito litoral, onde é banhado pelo mar Negro, um mar interior formado pelas águas do oceano Atlântico.

O território romeno faz divisa ainda:

O clima predominante na Romênia é o temperado continental, embora haja alterações regionais significativas, decorrentes sobretudo da influência do relevo. As temperaturas médias são relativamente baixas, ficando em torno de 9 °C. Os verões são amenos e chuvosos, enquanto os invernos são muito frios, registrando precipitação na forma de neve. O volume anual de chuvas varia de 400 mm nas planícies a 1400 mm nas áreas mais elevadas.

A principal feição do relevo da Romênia é a cordilheira denominada de Montes Cárpatos, que se estende por boa parte dos países da Europa Oriental e também pela região central do continente. No país, ela forma um arco entre o norte e o oeste, abrigando no centro a área rebaixada da Bacia da Transilvânia. O sul da Romênia é caracterizado por terrenos planos e de baixa altitude, formando a planície de Valáquia. A altitude média do país é de 414 metros.

Paisagem formada nos Alpes da Transilvânia, nome dado à parcela dos Cárpatos que se estende pela Romênia.
Paisagem formada nos Alpes da Transilvânia, nome dado à parcela dos Cárpatos que se estende pela Romênia.

As florestas temperadas compõem boa parte da paisagem da Romênia. Elas são formadas por carvalhos, faias e espécies de coníferas. Nas áreas mais elevadas, se encontram coberturas vegetais típicas de regiões alpinas, isto é, de baixo porte, como arbustos e gramíneas.

O rio Danúbio é o principal curso d’água e o maior a cruzar o território romeno. Outros importantes rios da Romênia são tributários do Danúbio, como os rios Prut, Olt, Mureş e Ialomita.

Demografia da Romênia

A Romênia é o quarto país mais populoso do Leste Europeu, contabilizando, atualmente, 19.238.000 habitantes, de acordo com os dados das Nações Unidas. Não obstante os terrenos montanhosos, a população se encontra bem distribuída pelo território, o que resulta em uma densidade demográfica relativamente baixa, de 83,6 hab./km².

É baixa também a taxa de urbanização do país, que é de 54,3%. Apesar disso, pode-se considerar a Romênia um país urbanizado. Algumas cidades concentram grandes contingentes populacionais, sendo a maior delas a capital, Bucareste, que reúne hoje 1,79 milhão de habitantes. Destacam-se ainda as cidades de Constanta, com cerca de 426 mil habitantes, e Cluj-Napoca, que possui uma população de 411 mil pessoas.

A Romênia é um dos países que menos cresce populacionalmente no mundo. No período de 2015 a 2020, seu crescimento populacional era o sexto pior em escala global. Hoje, o país registra crescimento negativo de 0,38%, o que demonstra um encolhimento de sua população. Tal característica se deve à elevada taxa de mortalidade se comparada à de natalidade, além de uma considerável taxa de emigração.

A população romena tem passado ainda pelo processo de envelhecimento populacional. A idade mediana no país é de 42,5 anos, enquanto a expectativa de vida chega a 76,3 anos.

Vista da cidade de Bucareste, capital da Romênia.
Paisagem em Bucareste, capital da Romênia e cidade mais populosa do país.[1]

Economia da Romênia

A economia da Romênia apresentou recentemente um importante movimento de ascensão, que foi interrompido pela pandemia da covid-19, iniciada no ano de 2020. Ainda assim, o Banco Mundial avalia que o país apresentou uma recuperação satisfatória da crise frente a outros países. Alguns problemas, no entanto, têm representado obstáculos para o avanço e estabilidade da economia do país, como a emigração de mão de obra qualificada, o envelhecimento da população e questões de ordem fiscal.

Hoje, o Produto Interno Bruto (PIB) romeno é de US$ 287,28 bilhões, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). A Romênia é membro da União Europeia desde 2007, mas não integra a Zona do Euro. Sua moeda oficial é o leu romeno.

Os serviços respondem por 62,3% do PIB da Romênia, com destaque para o comércio e o turismo. A indústria é responsável por 28,9% da economia e agrega setores como de montagem de automóveis, produção de equipamentos e máquinas elétricas, têxtil e de calçados, mineração, construção civil e refino de petróleo. Boa parte desses produtos são destinados à exportação e vão para Alemanha, Itália e França. A agricultura representa 4,2% da economia romena. Entre os principais gêneros produzidos estão semente de girassol, uva, ameixa, trigo e milho.

Leia também: Países com déficit demográfico

Cultura da Romênia

Na Romênia, a cultura foi construída sob a influência dos povos que remontam às origens do país, bem como outros que exerceram domínio sobre aquele território no passado. Existe na Romênia uma grande diversidade de grupos étnicos, que auxiliam na formação de sua cultura. Dentre eles estão, além das pessoas originárias do país, os alemães, romanis, turcos, húngaros e ucranianos. Por causa da distribuição dessa população no território, existe uma diversidade regional no que diz respeito aos costumes.

Além das influências religiosas nas tradições romenas, existem muitas lendas que compõem o folclore do país, além de superstições que fazem parte do imaginário popular. Um exemplo é o dos rituais de proteção realizados pelas pessoas antes da festa de Santo André, em 30 de novembro, para afastar maus espíritos.

Na literatura e, posteriormente, na cultura popular, a Romênia ficou conhecida como o país que abriga o castelo do Conde Drácula, personagem criado pelo escritor irlandês Bram Stoker. Acredita-se que a sua inspiração veio a partir da observação do Castelo de Bran, construído no século XIII, na região da Transilvânia. Trata-se, hoje, de um importante ponto de visitação.

Destaca-se ainda a importância da música na cultura romena. A sua capital, Bucareste, tem sediado alguns dos principais festivais de música clássica do mundo. Na gastronomia, a tocanita é um dos principais pratos, se tratando de uma espécie de ensopado preparado com carne, ingrediente muito usado na cozinha romena, e batata.

Castelo de Bran na região da Transilvânia, na Romênia.
Castelo de Bran na região da Transilvânia, na Romênia.

Infraestrutura da Romênia

A Romênia é o país da União Europeia que apresenta menor avaliação de qualidade de vida, levando-se em conta quesitos como o acesso à educação e informações e o bem-estar social, embora fique na 45ª posição global. Atualmente, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país é de 0,828, considerado muito alto.

Há poucas informações disponíveis a respeito do acesso da população à água potável e eletrificação. De acordo com os dados disponíveis, 84,3% do total da população romena têm acesso às redes adequadas de saneamento. Quase todas as residências estão ligadas à rede elétrica. Nota-se, ainda, que a Romênia é um grande exportador de energia elétrica e apresenta uma matriz diversificada, composta, no entanto, por fontes poluentes e não renováveis. Os combustíveis fósseis representam 47% da capacidade instalada, 29% equivalem a hidrelétricas, 19% dizem respeito a outras fontes renováveis e 6% correspondem à energia nuclear.

Tanto as rodovias quanto as ferrovias são muito utilizadas nos transportes. A malha ferroviária romena é uma das mais densas do mundo, com 22 mil km de extensão. O país dispõe também de mais de 1,7 mil km de hidrovias, a maior parte das quais situadas no rio Danúbio. Fica na capital, Bucareste, o maior aeroporto do país.

Governo da Romênia

A Romênia é uma república semipresidencialista. O presidente, chefe de Estado, é diretamente eleito por voto popular para um mandato de cinco anos. O chefe de governo é o primeiro-ministro, indicado pelo presidente e aprovado pelo Parlamento. Esse órgão, representante do poder Legislativo, é bicameral, composto pelo Senado e pela Câmara dos Deputados.

Etimologia da Romênia

A palavra Romênia é derivada do latim romanus, que significa “cidadão de Roma”. Existem registros de que a palavra romanus era utilizada desde o século XVI nas três regiões que mais tarde deram origem à Romênia. O nome do país como hoje o conhecemos, no entanto, surgiu somente após o século XIX e teve a sua pronúncia e grafia padronizadas em meados do século XX.

Leia também: Grécia — país europeu localizado no sul da Península Balcânica

História da Romênia

A região onde se estabeleceu a Romênia é habitada desde pelo menos 2 mil anos antes da era atual. Mais tarde, os jônios e dóricos se instalaram na região e constituíram uma aliança estreita com os gregos, formando assim uma das principais bases da civilização e cultura da Romênia.

A partir do século III a.C., o avanço dos romanos implicou em uma disputa territorial e em um longo período de estabelecimento dos romanos sobre a parcela ocidental do país. Séculos mais tarde, foi a vez da ocupação eslávica na Península dos Bálcãs, abrangendo parte da atual Romênia.

A influência dos romanos permaneceu forte na região e foi incorporada à cultura local. O intervalo que vai dos séculos X ao XIV foi marcado pela divisão territorial das terras banhadas pelo mar Negro, com a anexação da região da Transilvânia à Hungria e a formação da Valáquia, ao sul, e da Moldávia, na região nordeste do território romeno.

Teve início no século XV o domínio otomano sobre essas terras, que atingiu o seu apogeu no século XVIII, não sem enfrentar a resistência dos territórios anteriormente citados. O crescimento da influência russa na região reduziu significativamente a presença otomana. Em meados do século XIX, a Valáquia e a Moldávia, com o apoio dos países da Europa Ocidental, elegeram um único governante e se unificaram, formando assim a Romênia. A Transilvânia foi incorporada mais tarde, no ano de 1918.

A Romênia passou por uma intensa transformação estrutural na segunda metade do século XX, sob domínio da União Soviética, em um período de plena Guerra Fria, tornando-se então uma república socialista em 1948. Os anos que se seguiram a 1965 foram marcados por um governo autoritário que chegou ao fim somente em 1989, com a execução do então presidente e intensos protestos populares.

O período seguinte foi também de turbulência, embora tenham sido realizadas eleições para a escolha de um novo presidente. A Romênia, a partir da década de 2000, passou a integrar alguns dos mais importantes blocos econômicos e de cooperação, como a Otan, e se tornou oficialmente membro da União Europeia.

Curiosidades sobre a Romênia

Créditos da imagem

[1] Ungvari Attila / Shutterstock.com

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/geografia/romenia.htm