Topo
pesquisar

Rasgar seda

Curiosidades

PUBLICIDADE

Hoje em dia, vemos que o cinema e a televisão possuem o incrível poder de criar um forte elo de identidade com seus espectadores. Alguns personagens de novelas e filmes acabam fixados na memória do público pelo uso de expressões que são rapidamente incorporadas ao cotidiano. Por mais que isso pareça e seja trivial, vemos que as manifestações artísticas ocupam um espaço significativo no comentário e, principalmente, na fala cotidiana.

Longe de ser uma experiência moderna, a incorporação de expressões calcadas por personagens ficcionais é bem anterior ao “boom” do cinema e da teledramaturgia. No século XIX, Luís Carlos Martins Pena, teatrólogo e fundador da comédia de costumes brasileira, foi responsável pela invenção da expressão “rasgar seda”. Como todos sabem, o termo é geralmente utilizado para dizer que alguém se derramou em elogios para outrem.

Em uma peça sem título, o autor cria uma história em que um vendedor de tecidos vai até a casa de uma senhorita para lhe oferecer suas mercadorias. Na verdade, a sessão de venda nada mais era que uma desculpa esfarrapada para que ele pudesse admirar e cortejar a dama de seus sonhos. No encontro, o vendedor não se cansa em proferir os mais extensos adjetivos em tributo à beleza de sua amada. Percebendo a situação, a jovem alerta: “Não rasgue a seda, que se esfiapa.”.

No simples aviso, a jovem queria dizer que o excesso de elogios a ela dedicados, poderiam justamente fazer com que perdesse o interesse no vendedor. De fato, se bem vasculharmos o nosso passado, podemos ver que a “rasgação de seda” começa bem na chegada dos portugueses. Ao descrever as terras descobertas, Pero Vaz de Caminha não economizou nos elogios e outros predicados que valorizassem o feito patrocinado pelo rei de Portugal. Será que pegamos essa mania dos nossos patrícios?


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

 

 

 

 

Curiosidades - Brasil Escola

 

 

 

O ato de “rasgar seda” aparece desde os tempos do Brasil Colônia.
O ato de “rasgar seda” aparece desde os tempos do Brasil Colônia.

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "Rasgar seda"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/curiosidades/rasgar-seda.htm. Acesso em 17 de novembro de 2019.

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola