Petróleo no Brasil

O Brasil se consolidou como um grande produtor de petróleo. Além de fundamental para a economia interna, o petróleo é hoje um dos principais produtos de exportação do país.

O petróleo foi descoberto no Brasil ainda no século XIX, mas a sua exploração em maior escala começou somente no período seguinte. Com a extração realizada em 10 unidades da federação, em dezenas de campos petrolíferos, o país se tornou um dos maiores produtores dessa matéria-prima. A descoberta do pré-sal, no ano de 2007, foi fundamental para o ganho produtivo do país. A bacia de Santos é atualmente a maior produtora de petróleo do Brasil, seguida pela bacia de Campos. O principal estado produtor é o Rio de Janeiro.

Confira no nosso podcast: A geopolítica do petróleo

Resumo sobre Petróleo do Brasil

Onde há extração de petróleo no Brasil?

A extração de petróleo no Brasil é feita por meio das reservas desse recurso natural, que se encontram em bacias sedimentares localizadas tanto no continente quanto na plataforma continental. Diz-se, assim, que a exploração acontece em campos onshore e offshore, respectivamente nas bacias continentais e marinhas.

Em se tratando das unidades da federação, a extração petrolífera acontece em 10 estados brasileiros:

As bacias petrolíferas, onde hoje são desenvolvidas as operações para a extração de petróleo, distribuem-se geralmente por dois ou mais estados. Em cada uma delas, estão dispostos um ou mais campos de petróleo, que nada mais são do que as jazidas onde esse óleo fica armazenado naturalmente. O Brasil possui centenas de campos petrolíferos, os quais se distribuem pelas seguintes bacias:

Reservas de petróleo no Brasil

O Brasil integra a lista dos 20 países com as maiores reservas provadas de petróleo do mundo. As reservas provadas se distinguem das reservas prováveis e possíveis por terem passado por um minucioso estudo que resultou em dados de engenharia e geológicos que atestaram que essas jazidas poderiam ser utilizadas para exploração comercial. No ano de 2020, as reservas nacionais ocupavam a 15ª colocação e representavam 1% das reservas mundiais de petróleo, comumente alternando a sua posição no ranking com o Qatar, país do Oriente Médio.

De acordo com os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o Brasil possuía, em 2020, um total de 11,89 bilhões de barris de petróleo em reservas provadas. Levando em consideração as reservas provadas, prováveis e possíveis, esse valor quase dobrou e atingiu 20,273 bilhões de reservas petrolíferas no subsolo brasileiro. O Instituto Brasileiro do Petróleo e Gás (IBP) indica ainda que a grande maioria das reservas brasileiras, aproximadamente 95% delas, concentra-se nas bacias de Campos e de Santos, que compreendem o litoral sudeste no país.

A descoberta das reservas do pré-sal, no ano de 2007, foi fundamental para alavancar o Brasil no cenário internacional no que diz respeito às reservas provadas de petróleo. O pré-sal abrange três grandes bacias petrolíferas na costa brasileira, que são as bacias do Espírito Santo, de Campos e de Santos.

Recebe esse nome por ter se formado antes (na escala de tempo geológico) da espessa camada de sal que se encontra sobre essa imensa reserva petrolífera, situada a cerca de sete mil metros de profundidade. O boletim da ANP mostra que, das reservas provadas no ano de 2020, 71,5% se encontram na camada do pré-sal.

Leia mais: Opep — Organização dos Países Exportadores de Petróleo

Produção de petróleo no Brasil

Com a descoberta da camada do pré-sal e o início de sua exploração, o Brasil se tornou um país autossuficiente em petróleo. Isso significa que a produção nacional é suficiente para suprir a demanda doméstica por esse recurso. O país se estabeleceu nos últimos anos como um dos 10 maiores produtores mundiais de petróleo, ocupando hoje a sétima colocação, conforme apontam os dados da Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos (EIA, sigla em inglês). A fatia nacional representava, no ano de 2020, 4% de toda a produção petrolífera no mundo.

O Brasil é responsável por uma produção de quase três bilhões de barris de petróleo todos os dias, 2,94 bilhões para sermos mais precisos. Lembrando que o barril de petróleo é a unidade utilizada internacionalmente para medir o volume de petróleo em seu estado bruto, equivalendo atualmente a 159 litros em média.

A maior parte da produção brasileira é derivada dos campos marítimos, com destaque para aqueles localizados na bacia de Campos, na porção pertencente ao estado do Rio de Janeiro, que figura hoje como principal produtor nacional de petróleo. O pré-sal responde por mais de 70% da produção petrolífera no Brasil.

Máquina de extração de petróleo em campo onshore
A produção brasileira de petróleo é uma das maiores do mundo. Extrai-se hoje no país em campos onshore, no continente, e offshore, no mar.

Junto da bacia de Campos, a bacia de Santos é também uma das maiores produtoras de petróleo do país, colocando São Paulo na segunda colocação no ranking estadual. Considerando somente a produção por bacia, a bacia de Santos já responde por aproximadamente 66% de todo o petróleo produzido no Brasil.

A principal empresa produtora de petróleo no Brasil é a Petrobras. A Petrobras é uma empresa estatal brasileira criada na década de 1950 e que atua em diversas etapas da cadeia produtiva do petróleo, desde a pesquisa e exploração até o seu refino e comercialização.

História do Petróleo no Brasil

A história do petróleo no Brasil teve início ainda no século XIX, à época do Brasil Império, quando foram descobertas as primeiras jazidas no estado da Bahia, durante a construção da Estrada de Ferro Leste Brasileiro.|1| O primeiro instrumento legal a versar sobre a exploração desse recurso natural foi datado em 30 de novembro de 1864, com a concessão do direito de extrair petróleo e outros minerais ao inglês Thomas Denny Sargent por um período de 90 anos. A área demarcada para tal correspondia às comarcas de Camamu e Ilhéus, no litoral baiano.

Entre o final do século XIX e início do século XX, o petróleo passou a ser utilizado como matéria-prima para a geração de energia no Brasil, o que ocasionou um aumento na demanda pelo produto. Entretanto, a exploração comercial de petróleo começou no ano de 1939, quando foi perfurado um poço na cidade de Lobato, na Bahia, compreendida pela bacia do Recôncavo.

Tal fato aconteceu um ano após a criação da Companhia Nacional do Petróleo (CNP), que logo ampliou os trabalhos de inspeção no litoral da Bahia. Em 1941, foi estabelecido um campo de exploração no município de Candeias (BA), considerado o primeiro voltado à exploração comercial de petróleo.

Após uma intensa campanha para que a exploração petrolífera ficasse a cargo do Estado brasileiro, a qual ficou marcada pelo slogan “O petróleo é nosso”, foi fundada a Petrobras no início dos anos 1950. Quinze anos após o início das atividades da empresa, foi feita a descoberta do primeiro campo de petróleo na plataforma continental brasileira, na região da bacia de Sergipe.

No ano de 1974, descobriu-se a bacia de Campos, hoje uma das maiores produtoras nacionais. O monopólio estatal da exploração de petróleo no Brasil foi extinto no ano de 1997, ampliando o escopo das empresas que poderiam desenvolver essa atividade em território nacional.

O avanço das pesquisas no setor e o aprimoramento tecnológico dos equipamentos utilizados nas explorações levaram a uma das principais descobertas em território nacional no ano de 2007, que marcou profundamente a história da exploração de petróleo no Brasil. Tratamos aqui da camada do pré-sal, situada no litoral sudeste, a sete mil metros de profundidade. Em 2016, a produção do pré-sal era de um milhão de barris de petróleo por dia, e hoje, aproximadamente 70% do petróleo produzido no Brasil são oriundos dessa jazida.

Desastres com o petróleo no Brasil

Os primeiros desastres ambientais envolvendo o derramamento de petróleo no Brasil datam da década de 1970. Em março de 1975, um navio cargueiro fretado pela Petrobras que realizava o transporte de petróleo derramou cerca de seis mil toneladas da matéria-prima nas águas da baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. A maior parte das dezenas de vazamentos registrados no Brasil entre 1975 e 2020 é oriunda de navios cargueiros ou do rompimento de dutos nas áreas de exploração.

No ano de 1983, três milhões de litros de petróleo vazaram de um oleoduto no município de Bertioga, no litoral de São Paulo. Outros dois vazamentos de dimensões semelhantes ocorreram na década de 1990, em praias do litoral norte de São Paulo e na baía de Guanabara (RJ), sendo este último causado também pelo rompimento em um oleoduto.

O ano 2000 foi marcado por acidentes de grandes proporções, entre eles o que ocorreu na refinaria Presidente Getúlio Vargas, no Paraná, considerado um dos piores derramamentos registrados no Brasil. Um total de quatro milhões de litros de petróleos foram derramados durante uma transferência entre um terminal e a refinaria, e, como consequência, houve a contaminação do solo e de mananciais, um deles o do rio Iguaçu. Nesse mesmo ano, um rompimento de duto derramou 1,3 milhão de litros na baía de Guanabara (RJ).

Em 2011, um novo acidente de grandes proporções ocorreu em um poço de administração da empresa americana Chevron, na região do campo do Frade, situado na bacia de Campos, no Rio de Janeiro. O vazamento foi da ordem de 588 mil litros de petróleo, o que gerou uma mancha de óleo de 18 quilômetros de extensão.

Trabalhadores limpando praia de Pituba após derramamento de petróleo no mar em 2019
Ação de limpeza na praia de Pituba, em Salvador (BA). O local foi atingido pelo vazamento de petróleo que ocorreu no litoral brasileiro em 2019.[1]

Mais recentemente, em 2019, cinco mil toneladas de petróleo foram derramadas no litoral nordeste brasileiro, e a mancha atingiu um total de 11 estados dessa região e também do Sudeste, totalizando 130 municípios afetados. As investigações realizadas pela Marinha do Brasil apontaram três navios cargueiros como causadores do vazamento, os quais levavam petróleo da Venezuela para o sudeste da Ásia. Esse tem sido considerado o mais grave acidente do tipo no Brasil, tendo afetado severamente o ecossistema marinho das áreas atingidas e a atividade pesqueira.

Importância do petróleo no Brasil

O petróleo é uma commodity de alto valor agregado e que, por essa razão, é elemento central de diversas disputas geopolíticas no mundo. Essa matéria-prima possui grande importância para a economia brasileira, uma vez que é peça-chave em diversos ramos da indústria nacional, notadamente a petroquímica, mas também constitui um dos principais produtos de exportação do país. O maior comprador do petróleo brasileiro atualmente é a China.

A matriz energética brasileira, embora tenha se voltado cada vez mais à procura de fontes renováveis de produção, ainda é composta por 31,5% de petróleo e seus derivados. Ele é utilizado principalmente na produção de combustíveis como a gasolina e o diesel, utilizados em automóveis. Na produção de eletricidade, os derivados do petróleo respondem por 33,1%.

A exploração petrolífera tem ainda impacto direto na arrecadação nas localidades onde essa atividade acontece. Os chamados royalties do petróleo são pagos pela União aos municípios e unidades de federação como uma compensação pelas atividades desempenhadas naquelas áreas, e a aplicação desse dinheiro é destinada a outras áreas, como a educação e a saúde.

Nota

|1| TEIXEIRA, Wilson. FAIRCHILD, Thomas Rich. TOLEDO, M. Cristina Motta de. TAIOLI, Fabio. (Orgs.) Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009, 2ª edição. p. 594.

Crédito de imagem

Joa Souza | Shutterstock.com

 

Por Paloma Guitarrara
Professora de Geografia


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/brasil/o-petroleo-no-brasil.htm