Metais alcalinoterrosos

Os metais alcalinoterrosos correspondem aos elementos pertencentes à família 2 ou IIA da Tabela Periódica. Esses elementos químicos são: Be (Berílio), Mg (Magnésio), Ca (Cálcio), Sr (Estrôncio), Ba (Bário) e Rádio (Ra). Dentre esses, os de maior importância biológica e industrial são o cálcio e o ma

Os elementos que recebem o nome de metais alcalinoterrosos são aqueles que pertencem à família 2 ou IIA, da Tabela Periódica. Tal grupo compreende os seguintes elementos químicos: Be (Berílio), Mg (Magnésio), Ca (Cálcio), Sr (Estrôncio), Ba (Bário) e Rádio (Ra).

Eles possuem dois elétrons na camada de valência, tendo sua distribuição genérica representada por ns2, em que n representa o número do último nível. Em razão dessa característica, eles têm a tendência de perder esses dois elétrons, originando cátions de carga 2+.

O termo “terroso” refere-se a “existir na terra”, pois é onde esses elementos são encontrados, principalmente nos minerais. Por exemplo, o cálcio, na forma do composto fosfato de cálcio (Ca3(PO4)2), é encontrado na crosta terrestre e funciona como matéria-prima para a produção do fósforo. Está presente também nos ossos de animais, tanto que na calcinação desses obtém-se a chamada “farinha de osso”, que contém fosfato de cálcio.

Entre os metais alcalinoterrosos, os que mais se destacam são o Cálcio e o Magnésio.

O íon cálcio (Ca2+) está presente em cerca de 90% dos nossos ossos e dentes; e nos animais está presente também em suas carapaças. Tem a função de fortalecer a estrutura óssea e servir de relaxante muscular. A carência do cálcio no corpo pode causar cãibras musculares, tétano e osteoporose. É por isso que é importante ingeri-lo por meio de alimentos ricos em cálcio, como leite e seus derivados (manteiga, queijo, etc.), carnes e vegetais.

Por outro lado, o excesso de cálcio pode causar relaxamento muscular, pedras nos rins e dor nos ossos.

Além dos alimentos citados, o cálcio ainda está presente em muitas partes da natureza, principalmente em minerais, como na calcita (CaCO3) ou carbonato de cálcio, que é constituinte do calcário e do mármore, sendo que o mármore é utilizado na fabricação de pias, estátuas, pisos e escadarias. O carbonato de cálcio também é o formador das estalactites e estalagmites nas cavernas. O cálcio está presente também no gesso natural (CaSO4 . 2 H2O), chamado de gipsita. Esse sal pode ser desidratado, originando o CaSO4 anidro, que é o giz escolar.

Na indústria produz-se a cal virgem (CaO), a cal extinta, também denominada cal hidratada ou cal apagada, que é, na verdade, o hidróxido de cálcio(Ca(OH)2), usado nas pinturas de caiação e na preparação de argamassa. O aquecimento brando da gipsita permite a obtenção do sulfato de cálcio hemi-hidratado, que é o gesso, usado na construção civil, na produção de moldes em Odontologia e na Medicina para proteger fraturas ósseas, como a do braço mostrado a seguir.

O gesso é um composto do cálcio usado para proteger fraturas.

O íon do magnésio também contém uma grande importância biológica, pois está presente em 70% dos nossos ossos, favorecendo a ação de enzimas, músculos e coordenação motora. Sua falta no organismo pode causar desorientação, hipertensão, tremores e pulso fraco. Por isso, devemos ingerir os seguintes alimentos que contêm esse elemento: nozes, grãos e vegetais verdes. Além disso, o excesso de magnésio no corpo pode causar sonolência.

O magnésio também existe na água do mar e em minerais. É usado em ligas metálicas, como metais de sacrifício (que se oxidam no lugar do aço, evitando a sua corrosão), em rodas de “magnésio” e em fogos de artifício (oferecendo as cores prata e branco). Um composto muito importante do magnésio é o hidróxido de magnésio (Mg(OH)2), que, quando disperso em água, a uma concentração de aproximadamente 7%, origina uma suspensão conhecida popularmente como leite de magnésia, que serve como antiácido, combatendo a acidez estomacal (azia) e como laxante.

O leite de magnésia usado contra acidez estomacal é um composto do magnésio


Por Jennifer Fogaça
Graduada em Química


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/quimica/metais-alcalinoterrosos.htm