Bacias hidrográficas do Brasil

Bacias hidrográficas são porções de terras alimentadas por um rio principal e os seus afluentes, delimitadas pelo relevo ao seu redor ou pela vegetação.

As bacias hidrográficas do Brasil são extensas e formadas por rios caudalosos e importantes para suas respectivas regiões, fazendo com que o país possua a maior reserva de água doce/potável do planeta. É importante recordar que as bacias hidrográficas consistem em uma grande área em que um rio principal é alimentado por outros rios ao seu redor, os afluentes.

As bacias brasileiras são as seguintes:

Leia também: Aquífero Alter do Chão – considerado o maior em volume de água disponível

O que é bacia hidrográfica?

As bacias hidrográficas são formadas por um rio principal, seus afluentes e subafluentes, ou seja, os rios menores que alimentam os afluentes. Em geral, várias bacias pelo mundo possuem apenas um regime de alimentação dos seus rios, o regime pluvial, isto é, de água das chuvas. Porém, em algumas regiões, temos o regime nival (de neve), com água do degelo das montanhas alimentando grande parte do sistema hídrico das bacias.

Quando se tem um regime tanto pluvial quanto nival, costumamos dizer que há um regime misto. No Brasil, o Rio Amazonas possui esse regime, pois é alimentado com as chuvas e com o degelo das montanhas andinas, no Peru, o local da nascente desse rio.

Uma bacia hidrográfica é delimitada pelo relevo que está ao seu redor, que é constantemente esculpido pelas águas dos rios. Além do relevo, a vegetação também pode ser um fator de divisão entre uma bacia e outra. As bacias podem desaguar no mar, no subsolo e/ou em lagos.

Bacias hidrográficas do Brasil

Localizado em uma área privilegiada de recursos hídricos, o Brasil possui 12% de toda a água doce/potável disponível na Terra. Nosso sistema hídrico é proveniente de três áreas:

Confira a seguir as principais características de todas as bacias brasileiras. Elas foram definidas com as orientações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) e a Agência Nacional de Águas (ANA), órgãos responsáveis pela administração territorial e recursos hídricos brasileiros.

Localização das bacias hidrográficas brasileiras
Localização das bacias hidrográficas brasileiras

A maior bacia hidrográfica do país e do mundo possui uma área de drenagem de 5,8 milhões de km², abastecendo a população que vive em uma área de quase 7 milhões de km². Dentro do Brasil, a Bacia Amazônica compreende os seguintes estados:

Porém, ela não é exclusivamente brasileira, alimentando alguns países vizinhos, como:

Seu rio principal, o Amazonas, recebe três nomes ao longo de seu curso. No Peru, onde está localizada a nascente, possui o nome de Rio Marañón, assim chamado nos demais países andinos por onde corre. Quando entra no Brasil, recebe o nome de Rio Solimões. Ao atingir as águas do Rio Negro, torna-se Amazonas, considerado por muitos o maior rio do mundo.

Considerada a maior bacia em território brasileiro, a Bacia Tocantins-Araguaia possui uma área de mais de 800 mil km², com destaques para os dois rios principais. O rio Araguaia tem sua nascente no Mato Grosso e é a fronteira natural entre esse estado e Goiás. Durante o inverno, ele diminui sua vazão, formando lindas praias, que são bastante visitadas durante o período citado.

O rio Tocantins tem sua nascente em Goiás, no extremo norte do estado, e recebe as águas do rio Araguaia na divisa com Tocantins (estado). Juntos com seus afluentes e subafluentes, esses rios alimentam 7,5% do território nacional nos seguintes estados:

Veja também: Impactos ambientais causados pela mineração

Seu principal rio é o São Francisco. Ele nasce em Minas, na Serra da Canastra, e corre no sentido sul-norte. É um rio de extrema importância para a Região Nordeste, pois durante o período da estiagem, alimenta vários açudes, contribuindo para a sobrevivência do sertanejo (o homem do sertão) durante os períodos mais críticos.

Sua capacidade de drenagem alcança os seguintes estados:

Entre as polêmicas que cercam o Velho Chico, como o rio é popularmente conhecido nas regiões por onde passa, está a transposição para áreas interioranas, projeto esse que se iniciou em 1985 e se arrasta até os dias atuais.

Esse conjunto de bacias hidrográficas pode ser uma das mais importantes para o país em termos econômicos, pois está situada em uma região que é considerada a mais rica do Brasil, além de abrigar a maior usina hidrelétrica do mundo, a Usina de Itaipu, na fronteira com o Paraguai, no estado do Paraná.

O Rio Paraná tem como afluentes principais o Rio Grande e o Rio Paranaíba, além de ser a fronteira natural com o Paraguai e a Argentina, na foz do rio Iguaçu. Seu curso apresenta vários desníveis e quedas d’água, o que torna a Bacia do Paraná essencialmente de planaltos. Com isso, há um grande potencial hidrelétrico, o que favoreceu a implantação da Usina de Itaipu.

Cataratas de Foz do Iguaçu, no Paraná. [1]
Cataratas de Foz do Iguaçu, no Paraná. [1]

A bacia do Rio Paraguai é basicamente de planície, sendo amplamente utilizada para navegação e escoamento de produção dos três países banhados por esse rio:

O Rio Uruguai, presente também em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, possui grande potencial hidrelétrico, além de ser útil para os agricultores brasileiros, uruguaios e argentinos.

Presente no Nordeste brasileiro, essa bacia abriga três estados:

Sua localização faz com que muitos rios sejam intermitentes, isto é, que secam na estiagem. O rio principal que dá nome a essa bacia recebe água de vários afluentes, como o Rio Piauí e o Rio das Balsas.

Considerada pela ANA a bacia com a menor disponibilidade hídrica do país, está presente nos seguintes estados:

Devido ao clima árido e semiárido, possui muitos rios intermitentes, destacando-se o Rio Jaguaribe, o maior rio intermitente do mundo.

Com três biomas presentes em sua áreaCerrado, Caatinga e Amazônia –, essa bacia ocupa 3% do Brasil, no Maranhão e extremo leste do Pará. Os rios Itapicuru, Grajaú e Pindaré são os principais contribuintes dessa bacia.

Leia também: Cerrado: a caixa d'água do Brasil

Essa bacia é formada por rios que partem do Espírito Santo rumo ao Nordeste brasileiro, abrangendo:

Como destaque, há os rios Pardo e Jequitinhonha, sendo esse último um importante recurso para a população do norte mineiro, área de extrema pobreza devido à paisagem e ao clima árido. Entre as bacias hidrográficas brasileiras, ela possui a segunda menor reserva hídrica do país.

Pescador em Simões Filho, Bahia. [2]
Pescador em Simões Filho, Bahia. [2]

Uma das menores bacias em termos de área ocupada, com 2,5% do território nacional. Devido a sua localização, apresenta índices demográficos elevados, pois abriga os seguintes estados:

Como rios de destaque, podemos citar o Rio Paraíba do Sul e o Rio Doce, usados para as indústrias do Sudeste e mineradoras no estado de Minas Gerais, respectivamente.

Essa bacia possui grande importância turística, abrigando:

O destaque fica com o Rio Guaíba, que abastece Porto Alegre e áreas adjacentes.

Importância das bacias hidrográficas para o Brasil

Costuma-se dizer que o Brasil possui um grande privilégio hídrico devido à quantidade de rios e aquíferos (águas subterrâneas) existentes em nosso território. De fato, é um privilégio ter toda essa riqueza enquanto algumas regiões do mundo sofrem com a seca e processos de desertificação de paisagens.

Entretanto, toda essa riqueza, se mal administrada ou mal cuidada, pode acabar se tornando exaurível e imprópria para o consumo. Ter grande disponibilidade de água no território significa ter grande responsabilidade no cuidado dessa água, que é um recurso natural tão vital para a sobrevivência dos seres humanos.

É imprescindível que os recursos hídricos sejam administrados de forma eficiente e responsável, com planejamento que assegure a continuidade e limpeza dos cursos dos rios. Políticas de saneamento básico, combate à poluição, diminuição de fertilizantes e agrotóxicos que contaminem o solo e campanhas de conscientização populacional sobre o consumo de água devem ser feitos com rigor e atenção.

A poluição dos recursos hídricos brasileiros é um grave problema de todos. Na foto, poluição no Rio Tietê, São Paulo.
A poluição dos recursos hídricos brasileiros é um grave problema de todos. Na foto, poluição no Rio Tietê, São Paulo.

Há um tempo era consenso de que a água era um recurso infinito, inesgotável. Mas sabemos que isso não é verdade, o que desperta na sociedade civil e no poder público a necessidade de proteger áreas de mananciais, nascentes e matas ciliares a fim de preservar esse recurso tão necessário para o desenvolvimento da vida.

Exercícios resolvidos

Questão 1 - (UEM) Sobre os recursos hídricos do Brasil e seus problemas, assinale o que for CORRETO.

01. O Brasil está entre os países mais bem dotados do ponto de vista de recursos hídricos, em que se destacam também a Rússia e o Canadá.

02. A disponibilidade de água em território brasileiro é desigual, sendo a região Norte a mais bem servida e a região Nordeste, cujo interior é marcado por um clima semiárido, a mais carente.

04. Mesmo com problemas como os desmatamentos, que deixam os solos desprotegidos, acelerando a lixiviação, a erosão e o assoreamento dos cursos d’água, os métodos exploratórios de garimpo com poluição das águas, além de outros fatores, nenhuma região brasileira ou região urbana terá problemas em termos de quantidade e de qualidade de água.

08. No Nordeste brasileiro, o clima semiárido torna o solo permeável, provocando a frequente intermitência dos rios; mas a existência de aquíferos subterrâneos ameniza parcialmente o problema de disponibilidade de água na região.

16. No conjunto, o Norte e o Oeste do país dispõem de recursos bem superiores aos do Centro-Sul, que é a porção mais povoada do território brasileiro.

Soma ( )

Resolução

27

Apenas o item 4 está incorreto, pois todas as regiões brasileiras podem sofrer com problemas hídricos. A diferença é a intensidade do problema, pois algumas regiões poderão sentir de forma mais intensa do que outras.

Questãos 2 - (UFTM) Observe as afirmações:

I. A rede hidrográfica brasileira utilizada para a navegação está desigualmente distribuída pelo país, estando o maior potencial navegável localizado perifericamente às áreas de economia mais avançada.

II. No Brasil, os rios com maiores condições naturais para a navegação são o Amazonas e o Paraguai, assim como o médio vale do Rio São Francisco.

III. Os rios Tietê, Grande e Paranaíba são afluentes do Rio Paraná e banham importantes regiões altamente industrializadas do Sudeste brasileiro.

IV. A maior parte dos rios brasileiros são intermitentes, exceto aqueles localizados no sertão nordestino, que são temporários devido à irregularidade pluviométrica do clima.

V. O chamado Triângulo Mineiro compreende a região limitada pelos rios Paraíba e Grande, e faz fronteira com os estados de Goiás e de São Paulo.

Está CORRETO o contido apenas em

A) I e II.

B) I e III.

C) II e IV.

D) III e V.

E) IV e V.

Resolução

Alternativa A. Grande parte dos rios brasileiros é perene, ou permanente, e não intermitente. Além disso, o Rio Paraíba é um rio nordestino no estado de mesmo nome. Pode haver confusão com o Rio Paraíba do Sul, que está localizado no Sudeste brasileiro.

Crédito da imagem

[1] Vinicius Bacarin / Shutterstock

[2] Joa Souza / Shutterstock

 

Por Átila Matias
Professor de Geografia


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/brasil/principais-bacias-hidrograficas-brasil.htm