Síntese

Síntese é um texto que visa a resumir e apresentar um texto-base, condensando suas informações principais e relevantes ao objetivo da comunicação.

Uma síntese é um texto que se propõe a apresentar um outro texto de forma resumida e impessoal. A síntese pode resumir não apenas textos verbais como também pinturas, filmes, imagens, gráficos etc. Sua estrutura apresenta introdução, desenvolvimento e conclusão, além de algumas características específicas a cada texto, como o caráter argumentativo, crítico ou explicativo. Apesar de ser semelhante a um resumo, a síntese possui estrutura e função diferentes.

Leia mais: Resenha – gênero textual caracterizado por expor as percepções do leitor acerca de uma obra

O que é uma síntese?

A síntese é um gênero textual que se propõe a identificar informações-chaves de um texto-base, para reapresentá-lo de modo resumido e objetivo. O trabalho desse texto pressupõe uma atividade cuidadosamente elaborada que visa, antes da escrita, a fazer uma análise mais profunda do texto-base, buscando, além de compreender sua informação, analisar sua estrutura e como as suas partes combinam-se.

A sua linguagem deve ser objetiva e impessoal, evitando opiniões pessoais, informações de outros temas e transcrições diretas do texto. A síntese deve focar-se em apresentar, de modo condensado, as informações relevantes para a análise feita. Além disso, a síntese não se restringe a resumir textos escritos, é possível apresentar sínteses de quadros, gráficos, imagens etc.

Estrutura de uma síntese

A síntese possui uma estrutura consideravelmente flexível, pois não precisa seguir a estrutura do texto-base, entretanto, ela deve dividir-se em introdução, desenvolvimento e conclusão. Cada uma das partes possui uma função de apresentação do texto-base.

Na introdução, deve-se referenciar a fonte sintetizada, principalmente o tema e o autor. É o momento de apresentar o assunto a ser abordado e, consequentemente, sintetizado, bem como se deve indicar quem é o autor do texto-base e suas principais características e relações com o assunto.

O desenvolvimento é o momento de indicar os assuntos nucleares, desvendar as possíveis intenções do autor, apresentar e analisar as estratégias de conexão entre as partes do texto. A depender de qual objetivo tem com a síntese, o autor pode privilegiar um ou outro aspecto da sua fonte, além disso, a análise pode ser mais descritiva ou argumentativa, porém sempre com o uso da linguagem impessoal.

Por fim, a conclusão encerra as discussões e explanações anteriores, e faz as últimas conexões necessárias para finalizar o assunto, acrescentando-se a essa parte as últimas considerações a respeito do texto-base.

Exemplo de síntese de um texto

Chapeuzinho Vermelho é a história de uma menina que vive em uma floresta com sua mãe e que, um dia, vai, pela primeira vez, sozinha à casa de sua avó. Por ter que atravessar a floresta, a menina depara-se com um lobo, que a engana e chega primeiro à casa da vovó, engolindo-a para enganar e devorar, também, a pobre criança. Chapeuzinho é salva por um caçador, que ouve seus clamores e mata o lobo. O conto de fadas ensina sobre os perigos da vida adulta bem como alerta para a necessidade de obedecer-se aos pais, servindo como modelo de conduta para crianças.

A síntese anterior diz respeito à famosa história da Chapeuzinho Vermelho. Percebe-se que o texto condensa as informações principais, de modo que se sabe tudo o que ocorre na história, sem um apego a detalhes. Além disso, há uma leitura crítica a respeito do papel do conto de fadas na educação infantil.

Veja também: Crônica narrativa – gênero marcado por ações breves, com tempo e espaço determinados 

Passo a passo de como se faz uma síntese

Fazer uma síntese requer um cuidadoso trabalho de leitura analítica do texto-base
Fazer uma síntese requer um cuidadoso trabalho de leitura analítica do texto-base

Para fazer uma boa síntese, é preciso compreender que nesse tipo de texto há uma forte relação entre leitura e escrita, isso porque nele se resume um texto anterior, por isso é preciso que se realize uma profunda leitura do texto referência, buscando não apenas compreender sua mensagem superficial mas também sua estruturação intencional, argumentações, estratégias, inovações e referências.

Com essa leitura do texto-base, é importante fazer fichamentos com os tópicos destacados, além de observações pertinentes, tudo para, na hora da escrita, haver um repertório. Em seguida, após essa primeira etapa, o autor pode dedicar-se a sintetizar o texto.

Primeiro, deve-se analisar as informações realmente pertinentes para o objetivo da síntese, buscando apresentá-las de modo curto e objetivo. O tamanho da síntese é uma característica fundamental, por isso se deve evitar todo tipo de informação desnecessária. Em sequência, pode-se iniciar com uma breve apresentação dos aspectos centrais da obra e do seu autor.

No desenvolvimento, deve-se lançar mão das observações destacadas e consideradas pertinentes, apresentando-as de modo breve. A depender do tipo de síntese, é possível que se apresente argumentos, descrições ou explicações sobre a obra analisada. Na conclusão, é o momento de “amarrar” as ideias apresentadas anteriormente, acrescentando, se possível, as últimas considerações sobre o texto-base.

Tipos de síntese

Pode-se falar de, pelo menos, três tipos de sínteses:

Segue-se uma breve explicação sobre cada:

Qual a diferença entre síntese e resumo?

Síntese e resumo são gêneros comumente confundidos, pois ambos apresentam características básicas em comum, como a síntese das informações e um texto-base. Entretanto, ao estudá-los mais profundamente, é possível encontrar diferenças estruturais e funcionais entre os gêneros.

O resumo é um texto de caráter mais informativo e sua forma estrutura-se do mesmo modo que o texto-base, seu intuito principal é condensar as informações centrais da obra analisada. Seguindo essa lógica, o resumo concentra-se somente em facilitar a compreensão da mensagem existente no outro texto, sem considerar ou evidenciar aspectos. Além disso, o resumo só pode debruçar-se em um texto verbal.

A síntese, por outro lado, possui um caráter mais contextual e/ou subjetivo, pois, além de considerar as informações centrais do texto-base, considera as informações julgadas relevantes para o intuito da síntese em questão. Desse modo, pode-se desconsiderar informações relevantes do texto-base, mas que não são necessariamente relevantes para a síntese.

Ademais, a síntese possui um alcance maior, tendo em vista que pode direcionar-se a diversos gêneros textuais, como pintura, gráficos, imagens, dos quais o autor, além de descrevê-los, pode analisar a estrutura funcional e/ou a estética.

 

Por Talliandre Matos
Professora de Redação


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/redacao/sintese.htm