Anúbis

Anúbis era a divindade egípcia considerada o deus dos mortos e o responsável por guiá-los no além. Ele também era incumbido de proteger os túmulos.

Anúbis era um deus presente na religiosidade do Egito Antigo e era considerado o deus dos mortos e da mumificação. Era tido como protetor dos túmulos e dos mortos no além, mas acabou perdendo alguns desses atributos para Osíris. Os egípcios o retratavam com cabeça de chacal, e reproduções da imagem desse deus eram encontradas em tumbas egípcias.

Veja também: Thor — um importante deus da mitologia nórdica

Resumo sobre Anúbis

Quem era Anúbis?

Anúbis era um importante deus egípcio, considerado o primeiro deus dos mortos presente na religiosidade desse povo. Também era conhecido por ser o deus da mumificação e aquele que guiava os mortos no além. Os egípcios representavam esse deus em um corpo humano, no entanto, possuindo cabeça de chacal.

Os egípcios retratavam Anúbis com a cabeça na cor preta, que representava a decomposição do corpo, mas também era uma cor relativa ao renascimento, sendo que o solo fértil próximo ao Nilo possuía essa coloração.

inástico, que se estendeu de 6100 a.C. a 3500 a.C.Ddesenvolveu em algum momento do período Pré-se que o culto a Anúbis longa data. Acredita-seá mas historiadores afirmam que o culto a Anúbis provavelmente já era realizado hrepresentações desse deus foram feitas em tumbas egípcias por volta de 3100 a.C.,primeiras As

Como mencionado, Anúbis foi o primeiro deus dos mortos na religiosidade egípcia, mas, com o tempo, os atributos de Anúbis passaram a ser relacionadas com Osíris (outra importante divindade egípcia), bem como sua ligação com os mortos e a mumificação. Isso gerou certa confusão acerca dos dois deuses e causou também modificações nos mitos que envolviam Anúbis.

Anúbis não tem papéis significativos nos mitos egípcios. A ascensão de Osíris fez com que Anúbis se transformasse em filho de Osíris e Néftis, mas existem variações da mitologia que afirmam que ele era filho de Hesat e Bastet, por exemplo. Com o aumento da importância de Osíris, Anúbis foi convertido em uma espécie de auxiliar desse deus que protegia os túmulos e guiava os mortos no além.

Os egípcios acreditavam que Anúbis era um dos deuses que estavam presentes no Tribunal de Osíris, local onde os mortos eram julgados e em que era definido se eles gozariam da vida após a morte ou se seriam devorados por um monstro. Osíris cumpria um papel na balança que pesava o coração do morto (representando suas ações) e uma pena (representando o conceito de justiça).

Por ser o guardião dos túmulos, acreditava-se que Anúbis se vingava de todos aqueles que violavam esses locais. Os egípcios se referiam a Anúbis como Anpu ou Inpu. Anúbis, por sua vez, é um termo oriundo do idioma grego.

A respeito do nascimento de Anúbis, existe um mito egípcio que narra esse acontecimento. O nascimento dele teria sido fruto de uma relação de Osíris e Néftis, deusa da noite. Ela tinha afeição por Osíris, por achá-lo muito bonito. Assim, ela se disfarçou de Ísis (esposa de Osíris) e deitou-se com esse deus.

Néftis ficou grávida de Osíris, dando à luz o deus Anúbis, porém depois o abandonou, pois temia que seu marido, Set, descobrisse a traição. Ísis descobriu que Néftis havia ficado grávida de Osíris e foi atrás da criança, resgatando-a e criando-a como se fosse seu próprio filho. Set também descobriu o acontecido e, enfurecido, resolver vingar-se, assassinando Osíris.

Leia também: Hades — o deus grego do submundo

Culto a Anúbis

 Ilustração egípcia do Tribunal de Osíris.
Anúbis era um dos deuses presentes no Tribunal de Osíris.

Um dos locais que centralizavam o culto a Anúbis no Egito Antigo era a cidade de Saka, que ficava no Alto Egito. Além disso, existiam santuários para Anúbis espalhados por todo o território egípcio. A relação desse deus com a morte fez com que ele se transformasse no deus patrono de Mênfis, cidade que possuía necrópoles espalhadas pelo Egito. Em Mênfis, Anúbis era o patrono do embalsamamento. O culto a Anúbis era muito popular no Egito e alcançou outros povos, como os cuxitas.

Essas não eram as únicas formas existentes de adoração a esse deus pelos egípcios:

Ainda, a devoção dos egípcios a Anúbis ficou marcada pelo fato de que uma série de epítetos foi dada a esse deus em referência aos seus atributos. Ele era chamado pelos egípcios de “o primeiro dos ocidentais”. “Ocidental” era uma palavra usada para se referir àqueles que viviam no além. Também era conhecido, dentre muitas outras alcunhas, como “mestre dos segredos”, pois sabia o que esperava os mortos no além.

Como podemos perceber, tanto os epítetos como as referências a esse deus na cultura egípcia reforçavam a sua associação com a morte e sua relação com as práticas funerárias e as crenças dos egípcios na vida após a morte.

Videoaula sobre a religião do Egito Antigo

 

Por Daniel Neves Silva
Professor de História


Fonte: Brasil Escola - https://brasilescola.uol.com.br/mitologia/anubis.htm