Topo
pesquisar

Fiodor Mikhailovitch Dostoievski

Biografia

PUBLICIDADE

Romancista russo nascido em Moscou, um dos mais influentes de seu tempo, que em suas obras descreveu suas experiências principalmente o contato com a gente simples do povo russo. Filho de Mikhail Andreievitch, médico do Hospital dos Pobres, onde residia com a mulher, Maria Fiodorovna Netchaiev, viveu a infância nesse ambiente até que (1831) a família mudou-se para Tula, perto de Moscou, onde ele e seus quatro irmãos desfrutaram uma vida mais livre do autoritarismo paterno. Ele e Mikhail, o irmão mais velho, foram para o Liceu Tchermak de Moscou (1834) e, três anos mais tarde, perderam a mãe. Em seguida, cursou a Escola de Engenharia Militar e teve o pai assassinado (1839) por servos revoltados contra sua conduta despótica. Ainda que traumatizado com a morte do pai, acabou terminando seus estudos na escola militar de São Petesburgo, só e sem recursos.

Suas primeiras tentativas literárias não foram bem sucedidas e, então, lançou-se à atividade política, envolvendo-se num complô para assassinar Nicolau I. Foi preso e condenado à morte (1849), mas sua pena foi comutada para 10 anos de trabalhos forçados na Sibéria. Nos anos que cumpriu pena, escreveu sua primeira obra prima, Recordações da Casa dos Mortos. Libertado (1854), retomou a atividade literária e fundou, com o irmão Mikhail, a revista Vremia, suspensa depois pelo governo. Ainda em São Petesburgo e iniciou Memórias de um subterrâneo, descrições realistas da prisão, livro que o tornou célebre. Casou-se (1857) com Maria Dmitrievna Issaiev, de quem enviuvou. Abatido com a morte da esposa e do irmão, inspirou-se para escrever Unijenie i oskorblionie (1861) e Prestuplenie i nakazanie (1866), o famoso Crime e Castigo. Casou-se depois com Anna Grigorievna Snitkina e publicou o romance Igrok (1866), obra de fundo autobiográfico, escrita em apenas 26 dias para saldar dívidas com um editor.

Com a segunda mulher, crivado de dívidas e perseguido pelos credores, refugiou-se na Alemanha, Suíça e Itália, onde passou a maior parte do tempo jogando em cassinos e quase sempre perdendo. O vício e seus numerosos problemas serviram, porém, de tema para os livros que escreveu no período, como sua obra final, o clássico Bratia Karamazovi (1878-1880), vasto panorama da Rússia e de suas possibilidade de crime e de redenção, considerada outra obra-prima do autor, além de ser a mais longa, conhecida entre nós como Os Irmãos Karamasov. Suas grandes obras possuíam inúmeros personagens, enredos complicados e episódios sensacionalistas mas possuíam grande força psicológica. Viveu em dificuldades financeiras permanentes e escrevendo febrilmente para ganhar dinheiro e perdendo-o no jogo. Morreu vítima de uma hemorragia, em São Petersburgo (1881). Outras notáveis obras do autor foram Biednie liudi (1846), Dvoinik (1846), Bielie notchi (1848), Nietotchka Niezvanova (1849), Zapiski iz mertvogo doma (1861), Zapiski iz podpolia (1864), Idiot (1868), Besi (1871), Podrostok (1875).

Fonte: Biografias - Unidade Acadêmica de Engenharia Civil / UFCG

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Ordem F - Biografia - Brasil Escola

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Brasil Escola