Topo
pesquisar

Colesterol

Saúde na Escola

O colesterol é um lipídeo extremamente importante no nosso organismo, mas quando se encontra em excesso no sangue pode trazer consequências graves.
PUBLICIDADE

Os esteroides são considerados uma classe especial de gordura e compreendem os hormônios sexuais, os corticosteroides, os sais biliares do fígado, a vitamina D e o colesterol, o mais conhecido.

O colesterol é uma substância essencial para o nosso organismo, pois é utilizado por nossas células para a produção das membranas celulares e dos hormônios esteroides (estrógeno e testosterona), sendo, por esse motivo, produzido em nosso próprio organismo, principalmente no fígado. O colesterol também pode ser encontrado em outros alimentos de origem animal, como carnes, leite, ovos, etc. Mesmo exercendo funções extremamente importantes em nosso organismo, o colesterol em excesso pode fazer mal, trazendo muitos distúrbios à saúde.

Em nosso sangue são encontrados dois tipos de colesterol, que possuem a mesma estrutura molecular. Eles se diferem apenas quanto às proteínas sanguíneas que realizam o seu transporte. Quando associado às proteínas, o colesterol pode formar o LDL (LowDensity Lipoprotein - lipoproteína de baixa densidade) e o HDL (HighDensityLipoprotein - lipoproteína de alta densidade).

Todo o colesterol proveniente do fígado ou dos alimentos ingeridos é transportado pelo sangue na forma de LDL para todos os tecidos do corpo, sendo esse colesterol utilizado pela célula na síntese de suas membranas celulares. Se houver excesso de colesterol no sangue, haverá interferência nesse processo, causando uma redução na captação do LDL pelas células e, consequentemente, um aumento na concentração de LDL no sangue. Quando em altas concentrações no sangue, o LDL começa a se depositar na parede dos vasos sanguíneos, causando a arteriosclerose. Por esse motivo, o colesterol que se associa às proteínas formando o LDL é também conhecido como “colesterol ruim”.

A arteriosclerose é causada pelo acúmulo de colesterol nos vasos sanguíneos
A arteriosclerose é causada pelo acúmulo de colesterol nos vasos sanguíneos

Enquanto o colesterol que se associa às proteínas formando o LDL pode causar prejuízos à saúde, o colesterol que se une às proteínas formando o HDL traz somente benefícios. As lipoproteínas HDL captam o colesterol que está em excesso no sangue, encaminhando-o para o fígado, que o elimina na bile na forma natural ou na forma de sais biliares. Como essas lipoproteínas ajudam na eliminação do “colesterol ruim”, elas são chamadas de “colesterol bom”.

São muitas as causas do aumento do colesterol no sangue, como tendências genéticas ou hereditárias, obesidade, sedentarismo, tabagismo e hipertensão, mas a causa mais comum está relacionada aos hábitos alimentares. Uma dieta rica em alimentos de origem animal (gordura saturada, sólida em temperatura ambiente) contribui para que a concentração de colesterol no sangue se eleve, originando vários problemas.

Muitos especialistas acreditam que o consumo de alimentos ricos em gordura insaturada, líquida à temperatura ambiente, como o azeite de oliva, mantenha os níveis adequados de colesterol no sangue e aumente a produção de HDL, “colesterol bom”. Outro benefício do azeite é que ele aumenta a taxa de secreção de bile pelo fígado, promovendo a digestão e a absorção das gorduras e das vitaminas lipossolúveis.

A alta concentração de colesterol no sangue não provoca nenhum tipo de sintoma, por isso quem é sedentário e possui uma dieta rica em gorduras saturadas tem mais chance de apresentar um taxa de colesterol ruim alta. É importante lembrar que a arteriosclerose não apresenta nenhum tipo de sintoma, sendo sentida apenas quando há obstrução total de vasos ou artérias. Conforme a Sociedade Brasileira de Cardiologia, os níveis de colesterol total (HDL e LDL) no sangue devem ficar abaixo de 200mg/dL, enquanto que os níveis de HDL devem ficar acima de 35mg/dL e os níveis de LDL abaixo de 130mg/dL.

Praticar atividades físicas, parar de fumar e adotar uma dieta balanceada são medidas que podem controlar os níveis de colesterol no sangue, mas nem sempre essas mudanças conseguem controlar esse nível, sendo necessário, em alguns casos, o uso contínuo de medicamentos.


Por Paula Louredo
Graduada em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MORAES, Paula Louredo. "Colesterol"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/saude-na-escola/colesterol.htm>. Acesso em 10 de dezembro de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA