Topo
pesquisar

Xilitol

Química

O xilitol é uma substância orgânica que foi descoberta como adoçante, mas que apresenta diversas outras utilizações, até mesmo para prevenção de algumas doenças.
A utilização do xilitol como adoçante vem sendo cada vez mais aprovada e difundida
A utilização do xilitol como adoçante vem sendo cada vez mais aprovada e difundida
PUBLICIDADE

O xilitol é uma substância edulcorante (adoçante) que está sendo cada dia mais e mais utilizada, principalmente para a substituição da sacarose. Além de adoçar, ele reduz a quantidade de calorias ingeridas e o risco da aquisição do diabetes.

Além do poder adoçante e da baixa capacidade calórica, o que chama a atenção com relação ao xilitol é que ele apresenta vários benefícios ao organismo, ao contrário de outros edulcorantes. É possível encontrar o xilitol na natureza (em frutas, plantas e, inclusive, em nosso próprio organismo), mas a quantidade é extremamente pequena. Por essa razão, para utilizá-lo, é necessária a sua síntese (produção de forma artificial).

Composição química do xilitol

Quimicamente falando, o xilitol é um poliálcool saturado e de cadeia aberta, já que apresenta uma estrutura linear com cinco hidroxilas ligadas a carbonos diferentes, como podemos observar na estrutura a seguir:

Fórmula estrutural do xilitol
Fórmula estrutural do xilitol

O nome oficial estabelecido pela União Internacional da Química Pura e Aplicada (IUPAC) do xilitol é pentan-1,2,3,4,5-pentaol. Sua fórmula molecular é C5H12O5 e ele apresenta uma massa molar de aproximadamente 152 g/mol.

Propriedades fisiológicas do xilitol

  • Propriedade anticariogênica (para evitar ou tratar cáries);

  • Promoção do controle de placas dentárias pela alteração do pH da saliva;

  • Age contra a ação da bactéria Staphylococcus aureus, que promove a dermatite atópica;

  • Estimula a absorção de cálcio pelo intestino;

  • Amplia o processo de calcificação de ossos e cartilagens;

  • Eleva a atividade antibiótica natural dos pulmões;

  • Possui ação inibitória contra micro-organismos patogênicos, preservando a flora bacteriana da região íntima feminina;

  • Reduz a pressão intraocular;

  • É metabolizado de forma independente da utilização da insulina.

Formas de síntese do xilitol

O xilitol pode ser obtido por meio de duas rotas (formas) de síntese:

a) Reação de hidrogenação da xilose

Fórmula estrutural da xilose
Fórmula estrutural da xilose

As moléculas da xilose (obtida pela fermentação de componentes celulósicos da madeira) são submetidas a uma reação de adição por hidrogenação catalítica em reatores de elevada temperatura e pressão. Durante a reação, o grupo aldeído (possui uma carbonila na extremidade da estrutura) é convertido em um grupo hidroxila (referente a um álcool).

Representação da conversão do grupo carbonila em hidroxila no carbono saturado
Representação da conversão do grupo carbonila em hidroxila no carbono saturado

b) Método biotecnológico

Outra forma de sintetizar o xilitol é pela fermentação da xilose com o uso de leveduras fermentadoras, as quais realizam a redução da xilose em xilitol por meio da ação de uma enzima denominada de xilose redutase.

A formação do xilitol por essa via tem se mostrado bastante promissora com relação à síntese química, pois apresenta uma melhor eficiência na produção (maior quantidade do produto esperado) e menor custo.

Propriedades físico-químicas

  • Substância que se apresenta no estado sólido em temperatura ambiente;

  • Sua coloração é branca;

  • Não apresenta odor algum;

  • É estável até uma temperatura em torno de 120oC. Acima dessa temperatura, começa a sofrer o processo de caramelização;

  • É uma substância mais higroscópica (capacidade de absorver a umidade do ar) que a sacarose;

  • Possui sabor adocicado, que se equipara ao da sacarose;

  • Apresenta boa solubilidade em água;

  • Seu ponto de fusão é de aproximadamente 96oC;

  • Seu ponto de ebulição é de 216oC;

  • Suas moléculas interagem por meio de ligações de hidrogênio;

  • Suas moléculas são polares,

  • Quando dissolvido na água, aumenta a densidade da água;

  • Quando dissolvido em água, a solução aquosa apresenta um pH variável de 5 a 7.

Aplicações

a) Na produção de alimentos e bebidas

Entre as várias aplicações do xilitol na indústria alimentícia, temos como exemplo:

  • Gomas de mascar

  • Sorvetes

  • Bebidas

  • Balas etc.

b) Na odontologia

Quando presente na boca, o xilitol estimula a salivação, o que favorece:

  • O aumento do número de minerais capazes de remineralizar os dentes;

  • Reversão de cáries que estão em estágio inicial;

  • Neutralização dos ácidos produzidos pela fermentação de carboidratos;

  • Aumento de enzimas que diminuem a atividade de bactérias na região bucal.

c) Na medicina

  • Tratamento de lesões renais;

  • Controle de desordens metabólicas dos lipídios;

  • Prevenção de otites;

  • Prevenção de osteoporose;

  • Prevenção de infecções pulmonares etc.

d) Na indústria farmacêutica

  • Produção de xaropes;

  • Produção de tônicos;

  • Produção de complexos vitamínicos etc.

e) Na indústria de cosméticos

  • Produção de perfumes;

  • Produção de hidratantes para o corpo;

  • Produção de produtos de higiene;

  • Produção de cremes dentais;

  • Produção de soluções bucais etc.


Por Me. Diogo Lopes Dias

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DIAS, Diogo Lopes. "Xilitol"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/quimica/xilitol.htm>. Acesso em 24 de setembro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA