Topo
pesquisar

Polímeros de adição

Química

PUBLICIDADE

Muitos dos objetos plásticos que usamos em nosso dia a dia são obtidos através dos polímeros de adição. Vamos entender um pouco do processo de formação destes polímeros?

Na polimerização de adição, todos os átomos do monômero são incorporados na cadeia do polímero. O ponto de partida para as reações de adição é a quebra da ligação dupla carbono-carbono (C = C) presente nos compostos orgânicos, como, por exemplo, no etileno.



Uma vez quebrada a ligação, forma-se um radical com elétron ímpar. Esse elétron atua livremente, tornando o átomo de carbono altamente reativo. O radical se une então a outro radical, e começa uma reação em cadeia até que se formem longas estruturas como a descrita acima, a do polietileno. Agora você já sabe por que a Reação de adição se chama assim, ela permite somar mais carbonos à cadeia.

A estrutura mais simples dos polímeros de adição é a do polietileno. Imagine só as cadeias carbônicas mais complexas, quão extensas devem ser suas estruturas. Mas apesar de ser estruturalmente pequeno, o polietileno representa enorme importância para a indústria, é utilizado constantemente na obtenção de embalagens.

Por Líria Alves
Graduada em Química
Equipe Brasil Escola

Veja mais:

Utilização dos Polímeros sintéticos 
A invasão dos polímeros
Polímeros e poluição

Polímeros - Química Orgânica - Química - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUZA, Líria Alves De. "Polímeros de adição"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/quimica/polimeros-adicao.htm>. Acesso em 27 de maio de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA