Topo
pesquisar

Alquimia

Química

A alquimia é uma prática experimental milenar que utiliza princípios da ciencia, filosofia e magia para promover transformações na matéria.
PUBLICIDADE

Alquimia foi e é uma prática voltada às transformações da matéria que alia diferentes ciências, como a Química, Física, Astrologia, Filosofia, Arte, Metalurgia, Medicina, Misticismo e Religião. Assim, fica evidente que a Alquimia não é Química. Trata-se da arte de trabalhar e aperfeiçoar os corpos com a ajuda da natureza.

A origem da alquimia é bastante incerta, já que existem relatos alquímicos em diversas civilizações antigas, como os egípcios, gregos, romanos, árabes, persas, mesopotâmios, hindus, chineses e japoneses. Todavia, considera-se genericamente que seu início ocorreu por volta do século III a.C., na Alexandria.

Os homens que praticavam a Alquimia eram chamados de alquimistas, e o trabalho deles era fundamentado em três importantes correntes:

a) Filosofia grega:

A alquimia teve como embasamento teórico as ideias sobre metafísica, transcendência, estudo espiritual e subjetividade propostas por Platão; além da teoria dos quatro elementos (fogo, ar, terra e água) proposta por Aristóteles.

Além da teoria dos quatro elementos, os alquimistas baseavam-se também na chamada “Teoria das três essências”. Essa teoria dizia que toda matéria era formada por combinações diferentes de sal, enxofre e mercúrio.

b) Misticismo oriental:

O misticismo era utilizado pelos alquimistas principalmente porque muitas de suas tentativas e criações relacionadas com a matéria eram realizadas às escondidas (ciência oculta). Além disso, eles ainda selecionavam números (3, 4 e 7) e figuras geométricas como amuletos em seu dia a dia, bem como invocavam deuses e demônios para realizar as transformações que desejavam na matéria.

A prática da Alquimia quase sempre era realizada em um lugar escondido
A prática da Alquimia quase sempre era realizada em um lugar escondido

c) Tecnologias egípcias:

Várias tecnologias desenvolvidas no Egito, por volta do século III a.C., serviram de base para o desenvolvimento da Alquimia. Uma alquimista chamada Maria, a Judia, desenvolveu alguns equipamentos para realizar destilação, sublimação e o banho-maria.

Ao conhecer os fundamentos que pautavam a Alquimia, fica clara a dificuldade em defini-la. Ela é uma ciência, uma filosofia ou magia? De acordo com os relatos acima, ela é uma mistura desses três aspectos. Para alguns historiadores, a alquimia desenvolveu-se a partir de técnicas antigas e foi influenciada pelas crenças dos povos que realizavam essas técnicas, possuindo, assim, caráter prático-místico.

Mas o que os praticantes da alquimia buscavam? Veja:

1) A pedra filosofal: segundo os preceitos alquímicos, essa pedra seria um objeto capaz de transformar todo e qualquer metal em ouro.

2) O elixir da longa vida: segundo os preceitos alquímicos, o elixir seria uma bebida medicamentosa capaz de proporcionar a cura dos males do corpo e longa vida.

Vários foram os alquimistas que realizaram grandes feitos e descobertas ao longo dos séculos, a saber:

- Maria, a Judia

- Nicolau Flamel
- Paracelso
- Francis Bacon
- Robert Boyle
- Saint Germain
- Isaac Newton
- Albert Poisson
- Fulcanelli

 

Cada alquimista contribuiu de uma forma ou de outra para o desenvolvimento de várias ciências modernas (química, física, astrologia etc.), o que resultou em inúmeros benefícios à sociedade e à natureza, tais como:

  • Uso de minerais no solo para ampliar a fertilidade;

  • Descoberta de várias substâncias, como ácidos, bases, ésteres, gases e óxidos;

  • Preparo de medicamentos;

  • Produção de sabões;

  • Produção de ligas metálicas;

  • Estudo de determinadas doenças.

Na metade do século XVI, a Alquimia saiu de cena para que a ciência Química, que estuda a composição e reações da matéria, passasse a ser o foco no trabalho experimental com a matéria. A Química, portanto, é o avanço da Alquimia, uma vez que utiliza métodos mais modernos e eficazes, principalmente ao testar teorias por meio de experimentos.


Por Me. Diogo Lopes Dias

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DIAS, Diogo Lopes. "Alquimia"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/quimica/alquimia.htm>. Acesso em 11 de dezembro de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA