Topo
pesquisar

Desemprego – compartilhar ou não com os filhos?

Psicologia

PUBLICIDADE

Educação começa sempre em casa. Quem nunca ouviu essa frase tão conhecida? Este é um dos mais coerentes ditos populares, pois crianças e adolescentes bem-educados, que recebem informações dentro de casa e que são cobrados de suas responsabilidades, crescem sabendo enfrentar os medos, as angústias e as vitórias que a vida nos apresenta a cada dia.
Com o mundo moderno, a chegada da tecnologia e o seu desenvolvimento, além das mudanças nos valores que a sociedade impõe, temos visto que o consumismo desenfreado tem aumentado muito.

Jovens e crianças são incentivados pela mídia a adquirir jogos, brinquedos, roupas, sapatos, artigos de luxo, além dos tecnológicos, como: mp3, mp4, mp5, celulares, ipods, videogames, minigames, dentre vários outros que, aparentemente, são inofensivos, mas que não acrescentam muito para a boa formação dos infantes. Além disso, o custo destes não é nada baixo para que em pouco tempo estejam esquecidos, sem uso dentro dos armários e gavetas.

A verdade é que os filhos devem ser criados dentro das possibilidades econômicas de seus pais, sem que estes se sacrifiquem para enchê-los de vontades.
 


Abrir o jogo é a melhor opção

Os pais devem compartilhar suas condições financeiras com os filhos, mostrando-lhes que existem prioridades para a vida como as contas que devem ser pagas, as economias que precisam ser feitas, o dinheiro das férias e dos passeios que deve ser reservado, dentre várias outras situações importantes para suas vidas.

Em caso de desemprego não é diferente. Os progenitores devem compartilhar o problema sim, pois esta é uma realidade que todos estão sujeitos a passar. E as crianças e jovens devem aprender a ter consciência econômica, do quanto custa ganhar um salário digno para o sustento da família.

Além disso, é uma ótima oportunidade para conversar, levando-os a refletir sobre o que cada um pode fazer para ajudar a economizar nesse período de dificuldades. Os próprios pais podem exigir, mostrar atitudes de economia como não escovar os dentes com a torneira aberta, deixar o chuveiro na temperatura “verão”, manter aparelhos eletrônicos desligados quando em desuso, não desperdiçar alimentos e produtos de higiene, etc.

Assim, terão uma boa forma de aprender a participar da vida da família como um todo, afinal, educação começa em casa.
 

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

Veja Mais!
Dificuldades de Aprendizagem
Uma explicação sucinta sobre dislexia, disgrafia, discalculia e outros problemas

Psicologia - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

BARROS, Jussara de. "Desemprego – compartilhar ou não com os filhos? "; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/psicologia/desempregocompartilhar-ou-nao-com-os-filhos.htm>. Acesso em 18 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA