Topo
pesquisar

A Caixa de Pandora

Mitologia

PUBLICIDADE

A caixa de Pandora é um mito grego no qual a existência da mulher e dos vários males do mundo são explicados. Tudo começa quando Zeus, o deus de todos os deuses, resolveu arquitetar um plano para se voltar contra a ousadia de Prometeu – que entregara aos homens a capacidade de controlar o fogo. Para tanto, Zeus decide criar uma mulher repleta de dotes oferecidos pelos deuses e a oferece a Epimeteu, irmão de Prometeu.

Antes disso, Prometeu recusou a jovem Pandora de Zeus temendo que ela fizesse parte de algum plano de vingança da divindade roubada. Ao aceitar Pandora, Epimeteu também ganhou uma caixa onde estavam contidos vários males físicos e espirituais que poderiam acometer o mundo. Desconhecedor do conteúdo, ele foi somente alertado de que aquela caixa não poderia ser aberta em nenhuma hipótese. Com isso, o artefato era mantido em segurança, no fundo de sua morada, cercado por duas gralhas barulhentas.

Aproveitando de sua beleza, Pandora convenceu o marido a se livrar das gralhas que lhe causavam espanto. Após atender ao pedido da esposa, Epimeteu manteve relações com ela e caiu em um sono profundo. Nesse instante, não suportando a própria curiosidade, Pandora abriu a caixa proibida para espiar o seu conteúdo. Naquele momento, ela acabou libertando várias doenças e sentimentos que atormentariam a existência do Homem no mundo. Zeus assim concluía o seu plano de vingança contra Prometeu.

Logo percebendo o erro que cometera, Pandora se apressou em fechar a caixa. Com isso, ela conseguiu preservar o único dom positivo que fora depositado naquele recipiente: a esperança. Dessa forma, o mito da Caixa de Pandora explica como o Homem é capaz de manter-se perseverante mesmo quando as situações se mostram bastante adversas. Além disso, esse mesmo mito explora a construção da identidade feminina como sendo marcada pela sensualidade e o poder de dissimulação.

 

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Mitologia - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "A Caixa de Pandora"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/mitologia/a-caixa-pandora.htm>. Acesso em 14 de fevereiro de 2016.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • Luiz Henrique Ribeiroquinta-feira | 04/02/2016 02:26Hs
    Honestamente eu não vejo Pandora como uma figura maligna e dissimulada, eu penso isso dos Deuses.. Pandora ganhou um dom de cada Deus, foi Dionísio quem lhe deu a curiosidade. Ela foi criada para abrir a caixa, a ela foi dado um fardo tão pesado quanto o de Atlas, os próprios instintos que a ela foram dados se tornaram pecado, uma armadilha. Vejo Pandora, Prometeu como aqueles que mais deram de si para o desenvolvimento humano.
  • Liviasábado | 20/09/2014 00:40Hs
    Muito bom, mas o final é contraditório. O mito da esperança veio de uma tradução ambígua. A palavra original poderia ser traduzida ainda como "ansiedade" ou "a espera de alguma coisa". O último item não seria necessariamente a esperança, mas ter ficado na caixa teria salvo a humanidade de um mal muito maior.
  • Milenaquarta-feira | 03/09/2014 13:11Hs
    ... Mas também, Pandora prendeu a esperança. Isto significa uma coisa boa relacionada ao sexo feminino, ainda que ela tenha sido dissimulada.
  • Jadson da Silva Souzadomingo | 17/08/2014 23:15Hs
    Gostei do texto, eu já conhecia esta história... Mas foi bem resumida. Parabéns!!!
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA