Topo
pesquisar

Diferenças entre linguagem literária e linguagem não literária

Literatura

Existem significativas diferenças entre linguagem literária e linguagem não literária. Compreender cada uma delas é essencial para o entendimento dos diversos tipos de texto.
PUBLICIDADE

 Os textos podem ser divididos conforme a linguagem escolhida para a construção do discurso. São dois grandes grupos, que privilegiam a linguagem literária e a linguagem não literária. Apesar de os textos literários e não literários apresentarem pontos convergentes em sua elaboração, existem alguns aspectos que tornam possível a diferenciação entre eles. Saber identificá-los e reconhecê-los conforme o tipo de linguagem adotado é fundamental para a compreensão dos diversos gêneros textuais aos quais estamos expostos no nosso dia a dia.

Nessa questão, não existe uma linguagem que seja superior à outra: ambas são importantes e estão representadas pelos incontáveis gêneros textuais. As diferenças nos tipos de linguagem estão ancoradas pela necessidade de adequação do discurso, pois para cada situação escolhemos a maneira mais apropriada para elaborar um texto. Se a intenção é comunicar ou informar, certamente adotaremos recursos de linguagem que privilegiem o perfeito entendimento da mensagem, evitando assim entraves linguísticos que possam dificultar o acesso às informações. Se a intenção é privilegiar a arte, através da escrita de poemas, contos ou crônicas, estarão à nossa disposição recursos linguísticos adequados para esse fim, tais como o uso da conotação, das figuras de linguagem, entre outros elementos que confiram ao texto um valor estético.

Dessa maneira, confira as principais diferenças entre a linguagem literária e a linguagem não literária:

Linguagem literária: pode ser encontrada na prosa, em narrativas de ficção, na crônica, no conto, na novela, no romance e também em verso, no caso dos poemas. Apresenta características como a variabilidade, a complexidade, a conotação, a multissignificação e a liberdade de criação. A Literatura deve ser compreendida como arte e, como tal, não possui compromisso com a objetividade e com a transparência na emissão de ideias. A linguagem literária faz da linguagem um objeto estético, e não meramente linguístico, ao qual podemos inferir significados de acordo com nossas singularidades e perspectivas. É comum na linguagem literária o emprego da conotação, de figuras de linguagem e figuras de construção, além da subversão à gramática normativa.

Linguagem não literária: pode ser encontrada em notícias, artigos jornalísticos, textos didáticos, verbetes de dicionários e enciclopédias, propagandas publicitárias, textos científicos, receitas culinárias, manuais, entre outros gêneros textuais que privilegiem o emprego de uma linguagem objetiva, clara e concisa. Considerados esses aspectos, a informação será repassada de maneira a evitar possíveis entraves para a compreensão da mensagem. No discurso não literário, as convenções prescritas na gramática normativa são adotadas.

A linguagem nada mais é do que a expressão do pensamento por meio de palavras, sinais visuais ou fonéticos, através dos quais conseguimos estabelecer a comunicação. Compreender os aspectos presentes em cada uma das linguagens é fundamental para a melhor compreensão dos diferentes tipos de discurso que produzimos e aos quais estamos expostos em diferentes situações comunicacionais.


Por Luana Castro
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PEREZ, Luana Castro Alves. "Diferenças entre linguagem literária e linguagem não literária"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/literatura/linguagem-literaria-naoliteraria.htm>. Acesso em 01 de outubro de 2016.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA