Topo
pesquisar

Aqueles Olhos Verdes

Literatura

PUBLICIDADE

Olhos que recitam poesias,
Brilho do mar emprestado,
Colibris esvoaçantes
se buscando
Lado a lado.

Visão multicolorida,
Janelas abertas da alma,
O real e o sublime
se defrontando
Na mesma calma.

Espelhos cristalinos prisioneiros
Que à moldura facial encantam;
Líquidos poemas que se transformam
em canção.

Esmeraldas lapidadas
Na singeleza de um sorriso cativante;
Sonhos que partem rumo ao infinito...
Mas retornam.

Por João Cândido da Silva Neto
Colunista Brasil Escola
candidojooneto@yahoo.com.br

Literatura - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PERCíLIA, Eliene. "Aqueles Olhos Verdes"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/literatura/aqueles-olhos-verdes.htm>. Acesso em 18 de dezembro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA