Topo
pesquisar

Terrorismo nos EUA: 11 de setembro de 2001

História Geral

O terrorismo nos EUA ficou mundialmente conhecido pelos atentados ocorridos no dia 11 de setembro de 2001, às torres gêmeas do World Trade Center, na cidade de Nova York.
Atentados terroristas: 11 de setembro de 2001.*
Atentados terroristas: 11 de setembro de 2001.*
PUBLICIDADE

As ações terroristas têm como principal objetivo derrubar o poder estabelecido. Segundo MAZETTO (2005:9), “o ato terrorista muitas vezes tem sido confundido, de modo incauto ou premeditado, com as ações de luta armada movidas por ideais legítimos e como reação ou resistência à repressão de um agressor”. Os ataques terroristas originam-se nas relações sociais de dominação. Os dominados geralmente adotam o terror como tática para conseguir seus objetivos.

As ações utilizadas pelos terroristas, as chamadas táticas de terror, não são em nada ortodoxas, são atos radicais que quase sempre causam repulsa e ódio da população, como o atentado terrorista que ocorreu nos Estados Unidos da América no dia 11 de setembro de 2001. 

Nesse dia, dois aviões se chocaram contra as duas torres gêmeas dos edifícios World Trade Center (complexo comercial), na cidade de Nova Iorque. Os aviões tinham sido sequestrados minutos antes nos próprios aeroportos dos Estados Unidos. O primeiro avião a ser lançado era da empresa United Airlines e atingiu a torre norte do WTC. Nele se encontravam 65 passageiros e 9 tripulantes. A torre sul do edifício World Trade Center foi o segundo alvo atingido, também por um avião da American Airlines, com 92 pessoas a bordo.

Um terceiro avião da companhia American Airlines, com 58 passageiros e 11 tripulantes, foi lançado contra o Pentágono (local onde funciona o Departamento de Defesa dos Estados Unidos e o comando das Forças Armadas). Uma quarta aeronave atingiu uma região não habitada na Pensilvânia.

Pela primeira vez na história, os Estados Unidos da América acabaram sofrendo várias baixas na sua população civil, em seu território, num conflito internacional. Algumas fontes indicam que os atentados aos norte-americanos, no ano de 2001, vitimaram cerca de 3000 pessoas. Esse fato chocou e causou alarme nos EUA e no restante do mundo.

Rapidamente, o serviço secreto norte-americano, a CIA (Agência Central de Inteligência), juntamente com a polícia federal estadunidense, o FBI (Departamento Federal de Investigação), acusaram Osama Bin Laden, que liderava o grupo terrorista Al-Qaeda. Bin Laden, dias depois do atentado, fez um pronunciamento pelo canal de televisão árabe Al-Jazira, informando sua autoria, juntamente com a Al-Qaeda, dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Uma vez encontrado o autor dos atentados, as forças armadas norte-americanas logo se deslocaram para o Afeganistão, país que sediava a organização terrorista Al Qaeda e governado pelo Taliban (organização formada por fundamentalistas islâmicos). A ordem para os ataques ao Afeganistão partiu do presidente estadunidense George W. Bush. Após vários meses de intensos ataques e bombardeios, os norte-americanos conseguiram derrubar o governo Taliban, porém não alcançaram seu principal objetivo: capturar Osama Bin Laden.

Em consequência dos atentados de 2001, o congresso norte-americano aprovou a Lei Antiterrorismo, que autorizava escutas telefônicas de pessoas suspeitas de terem ligação com o terrorismo, censura de mensagens na Internet e prisão de pessoas estrangeiras sem comprovação de culpa. Os princípios democráticos prevalecentes nos EUA foram colocados em questionamento com a aprovação dessa lei, que restringia as liberdades da população civil.

*Créditos da imagem: Ken Tannenbaum | Shutterstock.com

Por Leandro Carvalho
Mestre em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

CARVALHO, Leandro. "Terrorismo nos EUA: 11 de setembro de 2001"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/historiag/terrorismo-nos-eua-11-setembro-2001.htm>. Acesso em 20 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA