Topo
pesquisar

As origens do Art Nouveau

História Geral

PUBLICIDADE

No século XVIII, o processo de industrialização provocou um grande número de transformações na Europa. Em pouco tempo, os centros urbanos eram tomados por trabalhadores que assumiriam os seus postos de trabalho nas fábricas. A rotina de milhares de pessoas era agora determinada por uma jornada de trabalho e subordinada à eficiência das máquinas. Ao mesmo tempo, a tecnologia possibilitava a produção em massa de mercadorias a serem consumidas em diferentes lugares do mundo.

Ao longo desse processo, observamos o nascimento de um forte interesse em conciliar a demanda acelerada por manufaturas das indústrias e as limitações impostas pelo trabalho artesanal. A fabricação em grandes escalas podia, cada vez menos, se sujeitar ao detalhismo e à demora do artesanato. Por volta de 1830, o governo britânico incentivou a criação de escolas de desenho que preparassem profissionais comprometidos com o desenvolvimento de um design aliado à produção industrial.

Na medida em que essas situações ganhavam público, observamos a manifestação de vários críticos avessos a esse processo de interferência do capitalismo industrial no mundo das artes. Para muitos desses, a padronização esperada pela Revolução Industrial viria a determinar um sério atentado contra as formas livres e originais que guiaram o fazer artístico ao longo dos séculos. Com isso, podemos ver que as origens do Art Noveau se impõem como uma reação aos ditames da emergente sociedade industrial.

John Ruskin (1819 – 1900), um dos mais influentes críticos de arte da Inglaterra, sai nessa época em defesa de uma arte inspirada no feito dos artesãos do período medieval. Ele combate fortemente os padrões arquitetônicos da época e destaca que a manutenção de uma arte genuina e verdadeira, só poderia acontecer em função da liberdade criativa. Sem dúvida, podemos assinalar claramente que as reflexões de Ruskin teriam enorme peso para que o Art Nouveau se firmasse entre as décadas de 1890 e 1910.

Influenciado pelos ideais de Ruskin, o jovem arquiteto e sociólogo William Morris (1834 – 1896) tenta repensar os limites entre a arte e o trabalho artesanal, visando ao combate da vulgarização dos conteúdos artísticos realizado pela Revolução Industrial. No tempo em que trabalhou na firma de George Edmund Street, o jovem William viu que a negação da demanda industrial era impossível. Desse modo, ele abria caminho para a síntese entre arte e indústria que marcou a era do Art Noveau.

Com o passar do tempo, uma nova geração de decoradores e artesãos se apropriaram dos materiais popularizados graças à industrialização para delinear um novo tipo de concepção de desenho. Influenciados pelo movimento das Artes e dos Ofícios (iniciado por William Morris), pelas artes decorativas, as iluminuras medievais e a arte oriental, esses artistas do final do século XIX organizaram novas concepções entre os ornamentos e formas arquitetônicas de definir o que viria a ser o Art Nouveau.


Por Rainer Sousa
Graduado em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SOUSA, Rainer Gonçalves. "As origens do Art Nouveau"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/historiag/art-nouveau.htm>. Acesso em 24 de julho de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA