Topo
pesquisar

Governo Itamar – Economia

História do Brasil

Empossado como presidente após a renúncia de Fernando Collor, Itamar Franco deixou como maior legado econômico de seu governo a estabilidade econômica conseguida com o real.
PUBLICIDADE

Itamar Franco foi empossado Presidente da República em outubro de 1992, após a renúncia de Fernando Collor, que enfrentava um processo de impeachment. Vice-presidente à época, o mineiro de Juiz de Fora governou de 1992 a 1995, período que ficou conhecido como “República do Pão de Queijo”.

Seu principal legado está ligado ao Plano Real, um pacote de medidas econômicas que vinha na esteira de outros planos apresentados anteriormente, nos governos de Sarney e Collor, com o intuito de controlar a inflação e estabilizar a economia. Diferentemente dos demais, o Plano Real entrou em vigor em março de 1994 respaldado por Medida Provisória, garantindo assim um aparato legal inexistente anteriormente.

A equipe que elaborou o Plano Real era formada por economistas oriundos da PUC do Rio de Janeiro, sendo alguns formados nos Estados Unidos, e tinha como coordenador Fernando Henrique Cardoso (FHC), sociólogo nomeado ministro da Fazenda por Itamar Franco em maio de 1993.

O objetivo do plano era criar condições para enfrentar a inflação, principalmente através do controle cambial, e garantir condições para o investimento de capitais estrangeiros para recuperar a economia nacional. Durante a transição do cruzeiro para o real (a nova moeda), seria utilizada a Unidade Real de Valor (URV), um indexador cuja função era corrigir diariamente os preços até a adoção da nova moeda.

O real, a grande conquista econômica do governo Itamar Franco

Em julho de 1994 entrou em vigor o real, moeda vinculada ao dólar cuja emissão de novas quantidades estava condicionada ao volume de dólares existentes nos cofres do Banco Central do Brasil. Inicialmente o dólar valia 90 centavos de real, e posteriormente um dólar passou a valer um real.

As consequências principais destas medidas foram: o controle da inflação; o aumento dos investimentos de capital estrangeiro, em razão dos altos juros praticados no país; e a maior abertura da economia às importações, estimulando a concorrência produtiva da indústria nacional com o mercado externo. Essa medida adotada pelo Governo Itamar Franco aprofundou a inserção do Brasil no contexto da globalização econômica e deu novo impulso às medidas neoliberais que seriam adotadas pelo governo seguinte, como as privatizações de empresas estatais e diminuição da intervenção do Estado na economia.

Apesar de ter sido gestado sob o comando de Itamar Franco, foi FHC quem colheu os louros dessa vitória, apresentando-se como “pai do real”, o que lhe garantiu a vitória nas eleições presidenciais de 1994 sobre Luiz Inácio Lula da Silva.


Por Tales Pinto
Graduado em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PINTO, Tales dos Santos. "Governo Itamar – Economia"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/historiab/itamar-economia.htm>. Acesso em 22 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA