Topo
pesquisar

Sentidos das conjunções

Gramática

As conjunções, dependendo do contexto comunicativo em que se encontrarem inseridas, podem adquirir sentidos distintos.
PUBLICIDADE

Conhecimentos que fazemos da língua materna nos propiciam o conscientizar de que ela mesma, por meio dos pressupostos preconizados pela gramática, disponibiliza distintos recursos para formularmos nosso pensamento e assim proferirmos nossos discursos cotidianos, seja por meio da oralidade, seja por meio da escrita. Entre tais recursos emergem as chamadas classes gramaticais, que por sua vez abrangem todas aquelas dez de que já temos conhecimento – entre elas, as conjunções. Assim, ao estudarmos algumas desses classes ficamos sabendo, entre outros pormenores, que desempenham  papel  fundamental em se tratando de um dado contexto oracional. No caso delas, das conjunções, somos cientes de que tal atribuição está condicionada ao fato de conectar, ligar termos inerentes em uma ou outra oração.

Dessa forma, ao fazermos uso das conjunções, conscientizamo-nos de que elas, assim como as preposições, representam elementos de ligação, de conexão. Assim, há de se afirmar que elas (as conjunções) se caracterizam como aquelas palavras que ligam orações ou termos semelhantes de uma oração, coordenando ou subordinando umas às outras.

Uma vez coordenando, tais conjunções se classificam em aditivas, adversativas, conclusivas, alternativas e explicativas. Ora subordinando, equivale ressaltar que se classificam como condicionais, causais, temporais, concessivas, consecutivas, conformativas, entre outras.  Assim, acerca delas, das subordinadas, sabemos que se apresentam um tanto quanto complexas, fator que faz com que muitos usuários apenas as decorem.

Diante dessa realidade, até mesmo para coibir essa prática, apresentamos nessa conversa os diferentes sentidos ocupados pelas conjunções, haja vista que uma mesma conjunção, a depender do contexto em que ela é empregada, pode assumir papéis distintos, ou melhor, classificações distintas. Nesse sentido, vejamos alguns dos exemplos para justamente auxiliá-lo(a) no momento da classificação adequada:

Fizemos a pesquisa como solicitou o professor.

A conjunção, em se tratando desse caso, representa o sentido de conformidade, classificando-se como conformativa.

Você é educada como sua irmã.

Aqui, ela já possui o sentido de comparação, classificando-se como comparativa.

Como choveu bastante, não pudemos ir ao cinema.

Nesse contexto, ela denota o sentido de causa, recebendo a classificação de causal.

Desde que você traga sua irmã, poderá passar o final de semana aqui.

Nesse caso, a conjunção profere uma ideia de condição, razão pela qual ela se classifica como condicional.

Moro aqui desde que nasci.

A mesma conjunção, acima representando a ideia de causa, aqui ela denota a ideia de tempo, classificando-se, portanto, como temporal.


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DUARTE, Vânia Maria do Nascimento. "Sentidos das conjunções"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/gramatica/sentidos-das-conjuncoes.htm>. Acesso em 24 de maio de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA