Topo
pesquisar

Política e Meio Ambiente

Geografia

As transformações capitalistas no espaço geográfico determinaram muitos efeitos nocivos para a sociedade e o meio ambiente.
A partir da segunda metade do século XX, os países começaram a organizar reuniões e definir metas para minimizar os efeitos da degradação ambiental
A partir da segunda metade do século XX, os países começaram a organizar reuniões e definir metas para minimizar os efeitos da degradação ambiental
PUBLICIDADE

Partindo dos pressupostos estabelecidos pela cultura ocidental, a preocupação com as questões ambientais tem na década de 1960 a sua referência primordial. É necessário destacar a relação com a cultura ocidental porque diversas sociedades e comunidades ao longo da história tiveram uma relação de integração harmoniosa ou até mesmo de contemplação junto à natureza, bem diferente das sociedades ocidentalizadas que priorizavam a reprodução capitalista do espaço geográfico.

Em meados do século XX, o capitalismo mundial conheceu o fenômeno de expansão das empresas transnacionais, o que estreitou os laços econômicos de interdependência entre os países desenvolvidos e as nações subdesenvolvidas. A preocupação com a qualidade de vida da população de países ricos fez com que as matrizes de grandes empresas enviassem suas unidades poluidoras para alguns países subdesenvolvidos. Os países receptores, atualmente classificados como países emergentes, receberam essas empresas em prol de políticas desenvolvimentistas e da ideia de progresso, por vezes orientadas por práticas de caráter populista ou mesmo ditatoriais.

Apesar desse cenário, a preocupação ambiental tornou-se recorrente nos meios acadêmicos e instituições políticas no decorrer da segunda metade do século XX. A partir daí, podemos destacar os seguintes encontros e conferências:

•          Clube de Roma, 1968: encontro que reuniu cientistas, economistas, empresários, intelectuais e alguns representantes governamentais para discutir alguns dos principais problemas ambientais. O primeiro encontro culminou com a produção de uma obra intitulada “Os limites do crescimento”, no ano de 1972, livro sobre meio ambiente que vendeu mais exemplares em todo o mundo. A entidade existe até os dias atuais e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é um dos membros honorários do grupo.

•          Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente - Conferência de Estocolmo, 1972: primeiro evento ambiental organizado pela ONU. O encontro ficou conhecido pelas declarações diplomáticas, que não definiram grandes metas, mas tiveram como contribuição o estabelecimento de um debate político mundial, contando com a presença de alguns dos mais importantes chefes de Estado. 

•          Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento - Rio 92 ou ECO 92, 1992: formação de princípios gerais, com uma ampla discussão sobre o conceito de desenvolvimento sustentável, criado em 1987 pelo Relatório Brundtland. Durante a Rio 92, foi apresentada a Agenda 21, uma série de recomendações para as nações alcançarem o desenvolvimento sustentável. Uma das principais contribuições do encontro foi a Convenção Quadro sobre Mudança de Clima, responsável por debater as mudanças climáticas globais e que idealizou o Protocolo de Kyoto.

•          Protocolo de Kyoto, 1997: Determinou a redução de 5% nas emissões de CO2, tomando como referência o ano de 1990, com validade até o ano de 2012. Os Estados Unidos, que naquele momento eram os maiores emissores anuais de CO2 e que ainda hoje são os maiores emissores de CO2 acumulado desde a Revolução Industrial, não ratificaram o acordo.A Austrália também não ratificou o protocolo em 1997, mudando a sua posição e aceitando as condições de Kyoto apenas em 2007, durante a Conferência de Bali. O protocolo apresentou possibilidades para a os países se adaptarem às metas acordadas, o que ficou conhecido como Mecanismos de Desenvolvimento Limpo, como os Créditos de Carbono. Os créditos são emitidos pelas empresas ou pelos países que conseguiram atingir as suas metas e são comprados por aqueles que não se adequaram, de maneira a incentivar uma economia mais sustentável e fomentar investimentos em fontes alternativas de energia.

•          Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento - Rio + 20, 2012: Buscou discutir o conceito de Economia Verde para alcançar o desenvolvimento sustentável e a erradicação da pobreza, assim como o papel das instituições nesse processo. Em razão de um cenário internacional voltado para a crise econômica mundial e as divergências entre os países desenvolvidos e os países emergentes, a reunião acabou produzindo muitas recomendações, mas pouco avançou no estabelecimento de metas para os diferentes grupos de países.


Júlio César Lázaro da Silva
Colaborador Brasil Escola
Graduado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista - UNESP
Mestre em Geografia Humana pela Universidade Estadual Paulista - UNESP

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SILVA, Júlio César Lázaro da. "Política e Meio Ambiente"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/geografia/politica-meio-ambiente.htm>. Acesso em 24 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA