Topo
pesquisar

Donald Trump no Poder

Geografia

Donald Trump foi eleito o 45º Presidente dos Estados Unidos e governará a superpotência mundial de 2017 a 2020. Com propostas polêmicas, sua figura divide opiniões.
PUBLICIDADE

 Em 20 de janeiro de 2017, Donald John Trump tomou posse como o 45º presidente estadunidense, sucedendo Barack Obama. Foi eleito em 8 de novembro de 2016 para cumprir um mandato de quatro anos à frente da Casa Branca.

Candidato pelo partido Republicano, Trump teve durante as eleições de 2016 como seu maior opositor a senadora Hilary Clinton, esposa do ex-presidente Bill Clinton e candidata do partido Democrata. Ela contava com forte rejeição de significativa parcela da população estadunidense.

Envolvido em polêmicas antes e depois do anúncio de sua intenção de concorrer à Presidência, Donald Trump ficou conhecido por adotar em seu discurso posições claras e pouco temor em relação à repercussão negativa de seus posicionamentos controversos. Com postura nacionalista, anti-imigração e a favor de intervenções militares, Trump teve muitas de suas ideias envolvidas em discussão dentro e fora dos Estados Unidos. No entanto, sua postura encontrou identificação em uma parcela da população, que o elegeu para um dos – se não “o” – cargos políticos mais importantes do planeta.

 

Biografia

Formado em Economia, Trump herdou a habilidade para os negócios do pai. Grande magnata do ramo imobiliário, começou sua carreira empresarial com um empréstimo do pai, que já era um empresário de sucesso.

Construiu um verdadeiro império comercial e financeiro e publicou livros sobre negócios e carreiras de sucesso, além de ter sido apresentador de um programa de televisão.  


 Donald Trump é conhecido por posições ultraconservadoras. Agrada a uma parcela da população,
mas é rejeitado por um expressivo número de pessoas. **

 O bilionário do setor imobiliário possui experiência e sucesso nos negócios, e a presidência da maior potência econômica e militar do mundo foi o primeiro cargo político de sua carreira. A sua trajetória partidária já conheceu distintas moradas, pois Donald Trump vinculou-se a diferentes partidos desde o final dos anos 1980. Veja a seguir o partido e o período que em que Trump esteve filiado:

Democrata → em 1987

Republicano → de 1987 a 1999

Partido da Reforma → de 1999 a 2001

Democrata → de 2001 a 2009

Republicano → de 2009 até a atualidade

 

Geopolítica

O discurso de Donald Trump durante a campanha eleitoral sinalizou
para ações de protecionismo e fechamento da economia estadunidense.

 Os discursos de Donald Trump em relação às suas propostas e possíveis ações a respeito da geopolítica estadunidense e das relações da superpotência com os demais países do globo causaram durante a campanha presidencial discussão e inquietação. Frases como “A guerra e a agressão são meus primeiros instintos” levantaram incertezas quanto aos rumos dos Estados Unidos frente ao panorama internacional.

Vejamos a seguir as principais posições expostas por Trump em entrevistas e discursos antes da posse em janeiro de 2017 no que diz respeito à política internacional:

“Os Estados Unidos em primeiro lugar” – falas marcadas por ideias nacionalistas foram uma constante durante a campanha presidencial de Donald Trump. O protecionismo econômico e a geração e manutenção de empregos para os estadunidenses foram algumas das bandeiras de sua campanha. O então candidato afirmou que priorizaria os interesses do país mesmo que tivesse que colocar em risco a relação com países aliados.

Afirmou em algumas ocasiões que teria um poder de negociação com a Rússia superior ao de seu antecessor, Barack Obama. Apesar do tom austero em relação ao país, propõe uma reaproximação com o antigo rival e com Vladimir Putin, atual presidente da Rússia.

Apesar de os Estados Unidos terem na China o seu maior parceiro comercial, Trump encara essa relação de forma negativa, pois, segundo suas afirmações, a forte concorrência econômica que a potência chinesa oferece reduz as possibilidades de ampliação da economia estadunidense e retira postos de trabalho dentro dos EUA.

Declara oposição total ao acordo nuclear estabelecido com o Irã. O acordo prevê a retirada gradual das sanções econômicas à medida que o arsenal nuclear do Irã for reduzido. Para Trump, esse acordo beneficia o país em detrimento de outras nações do Oriente Médio, além de fortalecer uma economia que ele acredita que não merece.

Defende ter sido um erro a intervenção no Iraque e na Síria e justifica sua objeção alegando que o desmonte da estrutura ali existente abriu espaço para a ampliação de poder de grupos terroristas, como o Estado Islâmico, grupo esse que Trump afirmou estar “com os dias contados”.

Declaradamente oposto aos acordos comerciais e ao processo de globalização da economia, Trump deixa a entender que os Estados Unidos são desfavorecidos com as parcerias comerciais e que as outras nações teriam mais vantagens em negociar com a superpotência americana.

Mostra uma tendência de isolamento em relação às demais nações e chega a sugerir que os demais países invistam mais em sua própria segurança para deixar de depender dos Estados Unidos nessas questões.

 

Primeiros dias

Em sua primeira semana à frente da Casa Branca, Donald Trump sinalizou que pretende cumprir várias de suas propostas de campanha.

Entre as decisões com maior impacto internacional, está o decreto que revoga a participação dos Estados Unidos no Acordo de Associação Transpacífico (TPP) – ação essa que confirma a tendência de protecionismo econômico proposta na campanha eleitoral e automaticamente indica afastamento comercial de seus vizinhos asiáticos.

Outra medida bastante simbólica foi a eliminação da versão do site da Casa Branca em espanhol, demonstrando a tendência nacionalista e anti-imigração, também explícita durante a campanha presidencial. Trump garante construir – ampliar – o muro na fronteira com o México para barrar a entrada de imigrantes ilegais.

 

Créditos das imagens:
* Evan El-Amin / Shutterstock  
** JStone / Shutterstock

Por Amarolina Ribeiro
Graduada em Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

RIBEIRO, Amarolina. "Donald Trump no Poder"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/geografia/donald-trump-no-poder.htm>. Acesso em 24 de abril de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA