Topo
pesquisar

Romã

Frutas

PUBLICIDADE

Originária do Oriente Médio e da Ásia Menor, a romã é o fruto da romãzeira. A fruta é do grupo das punicáceas e possui uma polpa comestível, além de pequenas sementes. Conhecida desde a Antiguidade, a romã passou a ser domesticada no Irã por volta de 2000 a.C. Os fenícios levaram a fruta para as regiões próximas ao Mar Mediterrâneo. No Brasil, a romã chegou através dos portugueses.

A romã possui uma importância histórica grande, uma vez que fez parte do contexto cultural de muitos povos. Para os gregos, a fruta era um símbolo da fecundidade, tendo inclusive, sido consagrada à deusa do amor e da beleza, Afrodite. Para os judeus, a fruta simbolizava a esperança de que o ano novo que se iniciava, seria melhor do que o que se passara. Em Roma, era um símbolo da ordem e riqueza.

As capacidades medicinais da fruta já eram conhecidas desde a Antigüidade. Sabe-se que a romã é uma fruta oxidante, mineralizante e refrescante. O chá produzido pelas cascas do fruto é eficaz contra infecções de garganta. Além disso, é usado no combate a diarréias e disenterias.

Existem dois tipos de romãs. A romã amarela possui uma grande quantidade de sementes e um pequeno mesocarpo (parte carnosa). Já a vermelha possui um pequeno número de sementes e uma grossa camada carnosa, sendo, portanto, o tipo mais vendido em supermercados, feiras, etc.

O exportador mais importante da fruta é a Espanha, sendo que Turquia e Tunísia também produzem quantidades significativas da fruta. O maior comprador da fruta é a Inglaterra, sendo usada principalmente em zonas de mineração, uma vez que a fruta é benéfica mediante a contaminação de metais pesados.

Frutas - Biologia - Brasil Escola

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA