Topo
pesquisar

E-learning: Aspectos Acerca Aprendizagem Ativa

Educação

PUBLICIDADE

Ao planejar um curso na modalidade à distância via e-learning, ou seja, on-line é necessário uma postura comprometida com o processo de desenvolvimento da construção do conhecimento. Campos (2004) sugere um planejamento com caráter dinâmico, a partir de um enfoque de aprendizagem ativa.

Os aspectos anunciados pela autora para a implementação de um programa em Educação a Distância (EAD) on-line estão relacionados com a seleção da informação; a comunicação com os pares; a cooperação-colaboração e controle-gestão.

As competências e habilidades da equipe envolvida no planejamento/implementação/avaliação de um curso via Web devem ser potencializadas a partir da totalidade inerente ao processo de construção, proporcionando um fazer, ação condizente à realidade dos envolvidos, considerando uma equipe multidisciplinar, a partir de um grupo de agentes qualificados com habilidades comunicativas e técnicas teremos uma gestão articulada para assumir papéis compreendidos em uma visão holística de todo processo, quer descentralizador.

O controle de todo o funcionamento de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) se faz por atividades planejadas problematizando a aprendizagem, o qual contemplará a partir de critérios o caminho para organização dos procedimentos e estratégias de ensino-aprendizagem.

De acordo com Netto (2006, p. 54) ambiente cooperativo, “ambiente cujos objetivos são trabalho colaborativo e a participação on-line. Existe muita interação entre os participantes por meio de comunicação on-line, construção de pesquisas, descobertas de novos desafios e soluções”.

Diante deste contexto podemos pensar num AVA que venha legitima a comunicação para construção do conhecimento a partir de um espaço de trocas, em que a coletividade norteará uma prática comprometida com cooperações para uma intervenção no meio, de forma que provoque uma desestruturação do que nos é imposto por uma postura protagonista, considerando a ação educativa de forma holística.

Pensar em comunicação ao planejar um curso via Web é encontrar meios para garantirmos a interação no meio educativo a partir de ações comunicativas, respaldando a EAD como forma de educar comprometida com a construção do conhecimento a partir de mediações interativas.

Elaborar materiais a serem disponibilizados em AVA requer uma preocupação constante na EAD, pensar em construção do conhecimento na modalidade à distância, faz refletirmos com que materiais devemos trabalhar. Elaborar materiais contextualizados, direcionados ao público alvo, provocando a partir de problematizações um significado, proporcionado uma visão holística do processo, oportunizando relações individuais para reflexão de seus valores e coletiva para garantir possibilidades é uma forma de garantir a aprendizagem via EAD, claro, relacionando a outros aspectos para tal sucesso.

Campos (2004, p.55) enfatiza a importância de mecanismos tecnológicos e requisitos técnicos para o desenvolvimento de um curso via e-learning,

“correio eletrônico e fórum para atender a comunicação entre os pares e realizar a cooperação; mecanismos de busca para a seleção da informação necessária para a construção do conhecimento; mecanismos para gerenciar, observar e controlar o desenvolvimento do curso”.

Segue recomendações segundo Corrêa e Ribeiro (2004), para auxiliar na implementação de uma ambiente virtual de aprendizagem: 

- apoiar as atividades de aprendizagem em tarefas problemas; 
- propor problemas realistas e relevantes para os alunos; 
- propor problemas que permitam ao aluno predizer o que vai acontecer e testar suas soluções; 
- estimular colaboração, diálogo e negociação no trabalho em grupo; 
- criar atividades em grupo e encorajar múltiplas interpretações; 
- guiar o processo de construção do conhecimento.

Por mais, devemos refletir sobre nossa postura diante do fazer pedagógico a partir de ações interligadas com os outros envolvidos no processo de construção do conhecimento; ter seriedade ao elaborar propostas pedagógicas, condizentes à realidade do sujeito, possibilitando meios a partir de materiais didáticos tecnológicos comprometidos com a formação de um espaço coletivo de ações-reflexões; assumir uma postura de parceiros na construção do processo, enfatizando a importância de relações conjuntas em todo processo; automatizar os aspectos levantados na presente discussão, no que se refere seu sucesso, a partir de uma quebra de paradigmas no fazer EAD; entre outros pontos que surgem a partir da atuação dos envolvidos diante de suas necessidades e possibilidades.

Referências Bibliográficas

CAMPOS, G. H. B. de. Planejamento de projetos em educação a distância. In: CORRÊA, J.; RIBEIRO, V. M. B. Competências, planejamento e avaliação. In: SENAC. Rio de Janeiro: SENAC. Versão 3.0. 2004.

CORRÊA, J.; RIBEIRO, V. M. B. Competências, planejamento e avaliação. In: SENAC. Rio de Janeiro: SENAC. Versão 3.0. 2004.

NETTO, Carla. Interatividade em ambientes virtuais de aprendizagem. In: FARIA, Elaine Turk. Educação presencial e virtual: espaços complementares essenciais na escola e na empresa. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

Por Rodiney Marcelo Braga
Especialista em Educação a Distância (SENAC).
Especialista em Gestão Escolar (UECE).
E-mail: professormarcelobraga@oi.com.br
Colunista Brasil Escola

Educação - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PERCíLIA, Eliene. "E-learning: Aspectos Acerca Aprendizagem Ativa"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/educacao/elearning-aspectos-acerca-aprendizagem-ativa.htm>. Acesso em 26 de abril de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA