Topo
pesquisar

Setor secundário

Economia e Finanças

O setor secundário transforma os bens primários em mercadorias e destina-as ao setor de comércio e serviços.
PUBLICIDADE

O Setor Secundário da economia é o responsável pela transformação dos bens e matérias-primas advindos do setor primário em mercadorias, que são transferidas para a comercialização no setor terciário. Assim, o setor secundário corresponde à produção fabril, com vários tipos de indústrias que se estruturam em diferentes áreas e aspectos do mercado.

Quando o setor secundário passa a crescer e a dinamizar-se em um dado local, dizemos que está ocorrendo o processo de industrialização, ou seja, a produção mecanizada ou manufaturada de mercadorias.

A industrialização ocorreu de diferentes formas ao redor do mundo: os países desenvolvidos foram os primeiros a passar por esse processo, notadamente a Inglaterra, considerada o seio da I Revolução Industrial ao longo do século XVIII. Esse país, além da França, Estados Unidos, entre muitos outros, é chamado de país de industrialização clássica. Nos territórios onde o desenvolvimento ocorreu pela implantação do socialismo ou do capitalismo de Estado, ocorreu uma industrialização planificada, com a maior parte das indústrias pertencente ao poder público.

Já em países emergentes e subdesenvolvidos, tais como o Brasil, manifestou-se a industrialização tardia, caracterizada por consolidar-se apenas na segunda metade do século XX, com a instalação predominante de empresas estrangeiras, também chamadas de multinacionais.

A atividade industrial é uma das mais relevantes no processo de produção do espaço geográfico. Isso porque, além de dinamizar a economia, ela amplia, ao menos inicialmente, a geração de empregos e é responsável pelo rápido crescimento das cidades. No Brasil, como a industrialização ocorreu primeiramente na região Sudeste, em face das heranças estruturais herdadas da economia cafeeira, essa região é a que concentra a maior parte da renda e da população do país.

Existem três tipos de indústrias, categorizadas conforme a sua especialização produtiva:

a) Indústrias extrativas: são aquelas que operam a partir da extração vegetal ou mineral, seja com a retirada direta ou com a transformação de bens extrativistas, tais como o petróleo, a madeira, entre outros.

b) Indústrias de base: são responsáveis pela produção de maquinários utilizados para estruturar outras indústrias e também possuem a função de produzir materiais que não são diretamente destinados ao consumo, mas que são novamente utilizados para outras produções industriais. Exemplo: produção do aço.

c) Indústrias de bens de consumo: são as responsáveis pela produção ou montagem de mercadorias em sua fase final, que serão diretamente direcionadas ao setor terciário. É segmentada em indústria de bens duráveis (mercadorias não perecíveis) e bens não duráveis (mercadorias perecíveis).

O setor secundário da economia, inicialmente, era o ramo de atividade que mais gerou empregos. No entanto, com a modernização dos sistemas produtivos e dos transportes, além da implantação do toyotismo ou produção flexível, a maior parte da mão de obra vem deslocando-se das fábricas para o comércio e os serviços. Além disso, os empregos na área industrial exigem cada vez mais uma maior qualificação profissional por parte do trabalhador.

A indústria automotiva atualmente emprega menos trabalhadores, que precisam qualificar-se ¹
A indústria automotiva atualmente emprega menos trabalhadores, que precisam qualificar-se ¹

_______________________

¹ Créditos da imagem: bibiphoto / shutterstock


Por Rodolfo Alves Pena
Graduado em Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PENA, Rodolfo F. Alves. "Setor secundário"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/economia/setor-secundario.htm>. Acesso em 23 de fevereiro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA