Topo
pesquisar

Tensão pré-menstrual

Doenças e patologias

PUBLICIDADE

 A tensão pré-menstrual, muito conhecida como TPM, consiste em sintomas físicos ou psicológicos que ocorrem na segunda metade do ciclo menstrual, e que, dependendo da severidade, podem afetar consideravelmente a qualidade de vida da mulher. Os sintomas da TPM têm início por volta dos 26 anos de idade.

Ainda não se sabe ao certo os reais motivos que levam a mulher a sofrer com a TPM, e por que algumas apresentam casos mais graves do que outras, mas especialistas acreditam que a TPM tem sua causa em uma combinação de fatores como genética, alimentação, fatores psicológicos e mudanças hormonais.

As mudanças hormonais são os fatores que mais vêm sendo estudados por especialistas. Durante todo o ciclo menstrual, o corpo da mulher se prepara para uma possível gravidez. Após 14 dias do ciclo, o óvulo é liberado pelo ovário e começa o período da ovulação. Com o término da ovulação, os sintomas da TPM começam a surgir, e é nessa fase que os ovários aumentam a produção dos hormônios estrógeno e iniciam a produção do hormônio progesterona com o intuito de preparar o útero da mulher para uma gravidez. Se não ocorrer a fecundação, a produção de estrógeno e progesterona cai, e essa diminuição hormonal faz com que o endométrio morra e seja descartado, ocasionando a menstruação. Com a menstruação, os sintomas da TPM tendem a acabar entre um e dois dias depois.

Especialistas supõem que os hormônios estrógeno e progesterona podem interagir com alguns compostos químicos do cérebro chamados de neurotransmissores, e que o resultado dessa interação afeta o humor e outros sintomas percebidos durante a TPM.

Os pesquisadores acreditam que ao afetar os neurotransmissores, alguns dos sintomas da TPM são sentidos. A serotonina é um neurotransmissor que cria sentimentos de bem-estar e regula os padrões de sono e humor, porém a queda na quantidade de estrógeno está ligada a uma queda na quantidade de serotonina, o que provoca irritação, depressão, ansiedade e desejo por carboidratos. Já o neurotransmissor ácido gama-aminobutírico está associado à depressão e à ansiedade, e a progesterona pode aumentar a atividade dele. As endorfinas são neurotransmissoras que aumentam a sensação de prazer e diminuem a sensação da dor. Elas podem ter suas atividades afetadas pela presença em grande quantidade de progesterona e estrógeno. Tanto a adrenalina como a noradrenalina estão envolvidas na resposta do organismo ao estresse, e o estrógeno pode afetar as atividades dos dois neurotransmissores, influenciando na pressão sanguínea, frequência cardíaca e humor.

Geralmente os sintomas emocionais da TPM são: choro fácil, nervosismo, irritação sem motivos, depressão, sensibilidade, ansiedade, mudança rápida de humor, tensão, dificuldade de concentração, agitação, insônia, letargia, sensação de cansaço, baixa autoestima e desejo por alguns alimentos, como chocolate e carboidratos.

Os sintomas físicos da TPM são: dores nas mamas, inchaços, dores de cabeça, dores musculares, aparecimento de acnes, prisão de ventre ou diarreia, náusea, tonturas, cólicas, mudanças no apetite, ondas de calor, diminuição do desejo sexual, entre outros.

Não existem tratamentos específicos para a TPM, pois os sintomas variam muito de uma mulher para outra, mas, com algumas medidas, é possível amenizar esses sintomas atribuindo uma melhora a eles. A realização de atividades físicas pelo menos três vezes por semana; evitar o consumo de álcool e cigarro; evitar o consumo de carboidratos simples, que são absorvidos rapidamente pelo organismo como doces, frutas, açúcares; diminuição do consumo de sal, açúcar, gordura e bebidas que contenham cafeína, como café, chá, refrigerante, etc., podem ajudar a diminuir os sintomas da TPM.

Ainda não há nada comprovado, mas algumas mulheres sentiram melhoras nos sintomas da TPM quando consumiram vitamina B6 (doses muito altas dessa vitamina podem causar danos ao sistema nervoso), vitamina E, cálcio e magnésio. O ácido gama linoleico, encontrado no óleo de prímula, também pode ajudar a amenizar os sintomas da TPM, mas ainda sem comprovação científica. O consumo de carboidratos complexos pode ser importante aliado à diminuição dos sintomas da TPM, pois eles são considerados mais saudáveis e ricos em vitaminas, minerais e fibras, com pouca quantidade de açúcares simples, como arroz e pão integral, inhame, batata-doce, aveia, etc. Suplementos de cálcio com vitamina D e multivitaminas diária também podem ser fortes aliados na guerra contra os sintomas da TPM.

Por Paula Louredo
Graduada em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

MORAES, Paula Louredo. "Tensão pré-menstrual "; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/doencas/tpm-tensao-pre-menstrual.htm>. Acesso em 26 de maio de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA