Topo
pesquisar

Fasciíte necrosante: a doença da bactéria comedora de carne

Doenças e patologias

A fasciíte necrosante, conhecida por muitos como a doença da bactéria comedora de carne, é uma infecção que atinge o tecido subcutâneo e a fáscia superficial.
A bactéria Staphylococcus aureus está relacionada com o início da infecção
A bactéria Staphylococcus aureus está relacionada com o início da infecção
PUBLICIDADE

A fasciíte necrosante é uma infecção bacteriana relativamente rara e também muito agressiva. Essa doença, também conhecida como “bactérias comedoras de carne”, causa grandes danos ao organismo e, em estágio avançado, pode formar verdadeiros buracos na pele.

→ Mas, afinal, o que é a fasciíte necrosante?

A fasciíte necrosante é um infecção causada por bactérias que atingem rapidamente o tecido subcutâneo e a fáscia superficial (tecido que separa músculos da pele), provocando sua destruição progressiva. De maneira extremamente agressiva, essas bactérias vão necrosando a região afetada, isto é, matando os tecidos atingidos.

Muitas pessoas morrem em decorrência da fasciíte necrosante, uma vez que ela pode resultar na falência múltipla dos órgãos. Estima-se que a mortalidade relacionada com essa infecção varie de 13% a 76% dos casos, e essa variação está diretamente ligada à demora no início do tratamento.

→ Qual o agente causador da fasciíte necrosante?

A fasciíte necrosante não possui agente etiológico específico, assim, pode ser causada por diferentes bactérias. Os agentes que iniciam essa infecção geralmente são o Streptococcus hemolítico do grupo A e Staphylococcus aureus.

De acordo com os agentes envolvidos, podemos classificar a fasciíte necrosante em dois tipos: I e II. No tipo I, encontramos diferentes bactérias em associação, das quais ao menos uma espécie é anaeróbia obrigatória, associada com um ou mais anaeróbios facultativos. Já o tipo II apresenta como agente causador o Streptococcus do grupo A, isolado ou em associação com o Staphylococcus aureus.

→ Como se formam as lesões da fasciíte necrosante?

Em geral, a fasciíte necrosante é provocada por pequenos traumas. Entretanto, em cerca de 20% dos casos, nenhum trauma é identificado. O começo da lesão caracteriza-se pelo inchaço local e pelo avermelhamento da pele. A dor também é um ponto importante, pois apresenta-se desproporcional em comparação com o tamanho do ferimento.

Percebe-se que, com o avanço da infecção, o local torna-se azulado e inicia-se a formação de bolhas com conteúdo amarelado ou avermelhado. Posteriormente, há o surgimento de uma borda avermelhada, e a área torna-se coberta por tecido necrótico (morto). Inicialmente, a pele não é afetada, bem como os músculos, entretanto, o avanço da lesão leva à necrose de fibras nervosas e ao comprometimento da pele e também dos músculos.

→ Existem fatores de risco para o desenvolvimento da fasciíte necrosante?

Existem alguns fatores de risco para o desenvolvimento da fasciíte necrosante. Entre eles, podemos destacar a idade avançada (normalmente acima dos 65 anos), traumas, lesões na pele, uso de drogas e álcool e doenças crônicas, como diabetes e obesidade.

→ Qual o tratamento da fasciíte necrosante?

O tratamento deve ser feito rapidamente, assim que se descobre a infecção. Ele baseia-se na aplicação de antibióticos e em cirurgias, que removem o material necrosado. Frequentemente, é recomendado o enxerto de pele após esse procedimento. Vale salientar que, para a total recuperação dessa doença, é essencial cuidar da saúde do paciente como um todo, dando atenção, por exemplo, à sua alimentação.

Por Ma Vanessa Sardinha

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Fasciíte necrosante: a doença da bactéria comedora de carne"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/doencas/fasciite-necrosante-doenca-bacteria-comedora-carne.htm>. Acesso em 16 de dezembro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA