Topo
pesquisar

28 de Julho – Dia da morte de Lampião

Datas Comemorativas

A morte de Lampião ocorreu em 28 de julho de 1938 e marcou o fim de uma vida dedicada ao cangaço.
O cangaceiro lampião foi morto no dia 28 de julho de 1938
O cangaceiro lampião foi morto no dia 28 de julho de 1938
PUBLICIDADE

No período da história brasileira conhecido como República Velha”, um dos fenômenos sociais mais complexos de se compreender foi o “banditismo” ou “banditismo social”, como apregoa certa tradição do pensamento histórico e sociológico. A principal corrente do banditismo social no Brasil teve ocorrência no sertão nordestino e foi representada pelo chamado cangaço. O principal cangaceiro brasileiro foi o pernambucano Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião. A morte de Lampião e seu bando ocorreu aos 28 dias do mês de julho de 1938, em plena ditadura do Estado Novo.

O cangaceiro Lampião tornou-se, tanto em vida quanto após a sua morte, alvo de lendas fabulosas, muitas delas romanceadas, sobretudo em razão de seu relacionamento com Maria Bonita, que o acompanhava no bando de cangaceiros. Sua saga no cangaço começou após a morte dos pais, que, até onde se sabe, foram vítimas da opressão dos grandes latifundiários da região onde morava em Pernambuco. A revolta contra a classe de fazendeiros e políticos que a eles se associavam transformou Lampião e outros cangaceiros famosos, como Corisco e Caixa de Fósforo, em justiceiros; porém, justiceiros imbuídos de ações atrozes.

O fato é que as ações do cangaço tiveram grande repercussão entre as camadas populares e foram transformadas em temas da literatura feita por autores como Jorge Amado e João Guimarães Rosa. Por meio do cangaço, Lampião conseguiu estabelecer tanta influência em certas regiões no Nordeste que, à época em que Getúlio Vargas começou a desenvolver seu projeto de integração e modernização autoritária do país, ele precisava, entre outras coisas, sufocar os movimentos de rebelião popular.

No início de julho de 1938, soube-se, por meio de um delator, que Lampião, Maria Bonita e mais nove cangaceiros achavam-se escondidos na região dos Angicos, nas proximidades da cidade de Aracaju, em Sergipe. O tentene João Bezerra partiu de Aracaju com um grupo armado à caça dos cangaceiros. Chegaram ao local na manhã de 28 de Julho e surpreenderam-nos com vários tiros de metralhadora portátil. Com Lampião, além de Maria Bonita, estavam os cangaceiros: Quinta-Feira, Mergulhão, Luís Pedro, Elétrico, Caixa de Fósforo, Enedina, Cajarana, Moeda e Mangueira.

Todos foram decapitados. Alguns ainda estavam vivos quando suas cabeças lhes foram retiradas dos corpos. Os policiais exibiram essas cabeças como troféus em praça pública, enviando-as posteriormente para o museu Nina Rodrigues, em Salvador, Bahia, onde ficaram expostas durante muito tempo.


Por Me. Cláudio Fernandes

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

FERNANDES, Cláudio. "28 de Julho – Dia da morte de Lampião"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/lampiao-rei-cangaco.htm>. Acesso em 20 de agosto de 2017.

Estado Novo: período de controle e concessão aos trabalhadores
História do Brasil Era Vargas – Estado Novo
Os cangaceiros fizeram parte de um movimento social ocorrido no sertão nordestino.
Geografia do Brasil Cangaço
Acima, imagem de vítimas de uma das secas que assolaram o Nordeste em 1877
História do Brasil Secas do Nordeste
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA