Topo
pesquisar

Pirâmide Etária da População Brasileira

Geografia do Brasil

A evolução da pirâmide etária vem apontando para um gradual envelhecimento da população brasileira.
A população brasileira está ficando mais velha
A população brasileira está ficando mais velha
PUBLICIDADE

A expressão Pirâmide Etária refere-se a um gráfico utilizado para identificar a população de um dado país ou região, agrupando os habitantes em faixas de idade e dividindo-os por sexo. O motivo dessa denominação advém do fato de que, quando na criação desse tipo de informação, todos os países (mesmo os desenvolvidos) apresentavam a população estruturada em formato piramidal. Apesar de isso não ser mais verdadeiro, a expressão permaneceu.

Em linhas gerais, à medida que os países vão se desenvolvendo, o formato de pirâmide desfaz-se, indicando uma queda nas taxas de natalidade e mortalidade. Em outras palavras, à medida que um país se desenvolve, a sua população vai ficando mais velha.

Com o Brasil não é diferente. Seguindo o que ocorreu outrora com os países centrais ou desenvolvidos e acompanhando nações emergentes (como México, Rússia e África do Sul), a base da pirâmide populacional brasileira vem diminuindo, enquanto a porção superior vem se alargando, indicando a queda na taxa de natalidade e o aumento da qualidade e da expectativa de vida da população do país. Observe a evolução da população entre 1980 e 2010 nos gráficos abaixo:

Em 1980, a população mais jovem era predominante
Em 1980, a população mais jovem era predominante *

A partir da década de 1990, os habitantes entre 0 e 4 anos foram diminuindo
A partir da década de 1990, os habitantes entre 0 e 4 anos foram diminuindo *

Em 2000, a população mais velha aumentou consideravelmente
Em 2000, a população mais velha aumentou consideravelmente *

No último Censo Demográfico, o Brasil já apresenta uma população adulta e não mais jovem
No último Censo Demográfico, o Brasil já apresenta uma população adulta e não mais jovem *

Até os anos 1980, o Brasil era considerado um país jovem, ou seja, o número proporcional de pessoas com faixas de idade inferiores era relativamente maior. No entanto, atualmente, assiste-se a um processo de amadurecimento dos habitantes do país e um consequente aumento da população mais velha. Antes, pessoas com mais de 80 anos era algo extremamente raro, atualmente isso vem se tornando cada vez mais comum.

Por que a população brasileira está envelhecendo?

Conforme já mencionamos acima, a população brasileira envelhece seguindo o mesmo ritmo que a maioria dos demais países em desenvolvimento, passando por estágios que as nações desenvolvidas já vivenciaram. Isso ocorre em função da elevação dos graus de urbanização e desenvolvimentos econômico e humano do país.

Ao longo do século XX o Brasil deixou de ser rural e passou a ser predominantemente urbano, apresentando atualmente mais de 85% da população vivendo em cidades com mais de 20 mil habitantes, segundo dados do Censo Demográfico de 2010. Além disso, em 2009, pela primeira vez, o Brasil passou a ter um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) considerado alto, ou seja, igual ou superior a 0,700 (em uma escala de 0,000 a 1,000).

Recentemente, o país vem também registrando elevados índices de crescimentos econômicos em comparação às demais economias do globo, representando um aumento do PIB (Produto Interno Bruto) e uma consequente elevação média dos investimentos em saúde e educação, apesar de tais gastos ainda serem considerados baixos frente aos padrões internacionais.

Todos esses fatores contribuem para a elevação do aumento da expectativa de vida da população. As taxas de natalidade, por sua vez, tendem a cair em função do aumento do planejamento familiar e da inclusão da mulher no mercado de trabalho, dentre outros motivos.

O que é melhor para o país: ser “jovem” ou “velho”?

Não é vantajoso para qualquer país ser muito jovem e, muito menos, ser muito velho. Isso se explica pelo fato de a maior parte da População Economicamente Ativa (PEA) situar-se em faixas intermediárias de idade. Assim, taxas de natalidade muito altas, por exemplo, diminuem a média de idade, sobrecarregando economicamente a população adulta, fato que se intensifica quando os investimentos em educação e saúde públicas são baixos.

Por outro lado, quando a população envelhece com o aumento da expectativa de vida e ocorre a diminuição brusca das taxas de natalidade, há novamente um sobrepeso sobre a PEA, uma vez que são os impostos pagos por essa população que manterão a previdência e a aposentadoria dos mais velhos. Vale a ressalva de que um dia esses mais velhos também já sustentaram os aposentados de sua geração, de forma que os seus direitos previdenciários não lhes pode ser negado.

Assim, é preciso encontrar sempre um ponto de equilíbrio entre o nível da população, que deve preferencialmente se manter como adulta, ou seja, nem muito velha e nem muito jovem, como é o caso da população brasileira na atualidade.

_______________________________

* Dados: IBGE – Projeção da População


Por Rodolfo Alves Pena
Graduado em Geografia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PENA, Rodolfo F. Alves. "Pirâmide Etária da População Brasileira"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/brasil/piramide-etaria-populacao-brasileira.htm>. Acesso em 18 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA