Topo
pesquisar

Camuflagem

Biologia

A camuflagem é uma importante adaptação dos organismos ao meio, uma vez que permite torná-los praticamente invisíveis, o que dificulta a ação de predadores.
A semelhança com uma folha faz o bicho-folha geralmente passar sem ser notado
A semelhança com uma folha faz o bicho-folha geralmente passar sem ser notado
PUBLICIDADE

Os animais apresentam diversas adaptações em seu corpo que os auxiliam na luta pela sobrevivência. Algumas adaptações garantem que os predadores fiquem longe, outras ajudam o predador a conseguir a sua presa ou, ainda, as adaptações atuam dessas duas formas. Entre as adaptações que merecem destaque, podemos citar a camuflagem.

→ O que é a camuflagem?

A camuflagem é uma forma de defesa eficaz em que o animal torna-se menos visível no ambiente em que vive e, dessa forma, evita que o predador consiga identificá-lo. Além dessa função de defesa, a camuflagem pode ser uma forma de obter alimento, uma vez que, escondido, o predador pode contar com o elemento surpresa para conseguir atacar a sua presa.

Na camuflagem, o animal altera sua cor ou forma, o que garante que ele fique invisível a olhos desatentos, ou, ainda, apresenta pelos, penas, escamas, entre outras estruturas, que, durante os vários anos de evolução, permaneceram no organismo como uma importante adaptação para ajudá-lo a esconder-se no meio. Os polvos, por exemplo, possuem cromatóforos, que são células especializadas na mudança de cor e que permitem ao organismo modificar e adquirir a coloração do ambiente. Já o urso polar possui pelos brancos, que o ajudam a camuflar-se na neve, e é um importante exemplo da ação da seleção natural.

A cor pode fazer com que um animal seja imperceptível no meio ambiente
A cor pode fazer com que um animal seja imperceptível no meio ambiente

A camuflagem pode ser de dois tipos:

  • Homocromia: nesse tipo, os organismos apresentam padrões de coloração que são geneticamente fixados. Os organismos, nesse caso, possuem cor semelhante a areia, folhas, galhos ou outras estruturas, tornando-os parecidos com o meio. Um exemplo é o camaleão, que apresenta cromatóforos para garantir sua mudança de cor à medida em que ele desloca-se pelo ambiente. Outro exemplo é o peixe linguado, o qual apresenta o corpo com coloração que imita o fundo do local onde esse animal vive.

  • Homotipia: é a camuflagem pelo chamado “comportamento de decoração”. Nesse caso, o organismo é semelhante a alguma estrutura do ambiente em que vive. Como exemplos, podemos citar o bicho-folha, que se assemelha a uma folha, e o bicho-pau, que apresenta grande semelhança com gravetos.

→ Qual a diferença entre camuflagem e mimetismo?

No mimetismo, as espécies apresentam características que as tornam semelhantes a outras espécies perigosas. Esse é o caso, por exemplo, da cobra coral falsa e da cobra coral verdadeira. Na camuflagem, no entanto, o que percebemos não é uma semelhança física e comportamental entre espécies e, sim, uma tentativa de esconder-se no ambiente.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Camuflagem"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/biologia/camuflagem.htm>. Acesso em 20 de outubro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA