Topo
pesquisar

Adaptações das aves ao voo

Biologia

Entre as principais adaptações das aves ao voo, podemos citar a presença de ossos ocos e penas, músculos bem desenvolvidos e a ausência de estruturas que elevariam seu peso.
O voo das aves está relacionado com um corpo leve e estruturas que ajudam na propulsão
O voo das aves está relacionado com um corpo leve e estruturas que ajudam na propulsão
PUBLICIDADE

As aves são animais que apresentam como característica peculiar a presença de penas. Essas estruturas estão diretamente relacionadas com o voo, apesar de muitas espécies de aves não apresentarem essa capacidade. As aves, no entanto, não apresentam apenas as penas como adaptações do corpo relacionadas com o voo. A seguir listaremos as principais adaptações desses animais e discutiremos um pouco a respeito de cada uma delas.

Penas

As penas são estruturas formadas por queratina presentes na pele das aves. Possuem uma grande variedade de tipos, assim como diferentes funções. As penas possuem função de isolamento térmico, atuam na flutuação, ajudam na atração de parceiros e até mesmo na camuflagem. Apesar dessa variedade de papeis, o ponto mais conhecido é sua relação com o voo. As penas relacionadas com o voo são mais rígidas que as outras e garantem propulsão e sustentação do animal.

Asas

As asas, sem dúvidas, são estruturas essenciais para garantir o voo das aves. Sem as asas, as aves não conseguiriam propulsão e a sustentação necessária para garantir um voo adequado. Além disso, esses animais são capazes de alterar o formato de suas asas de modo a garantir uma melhor eficiência em seus movimentos. Essas alterações garantem, por exemplo, a realização de manobras, mudanças de direção e perfeição na decolagem e aterrissagem.

Esqueleto

O esqueleto das aves apresenta uma variedade de adaptações que garantem um voo com grande eficiência. Entre elas, podemos citar: ossos modificados nas mãos que garantem a sustentação das asas, vértebras na região da cauda que ajudam na sustentação das penas e uma coluna vertebral rígida que permite o movimento das asas sem causar danos ao animal.

Podemos destacar também a presença de um esterno expandido chamado de quilha ou carena, que sustenta os músculos peitorais que atuam no voo. Não podemos esquecer a presença de ossos ocos (ossos pneumáticos) que garantem leveza ao animal.

Músculos

Os músculos das aves são bem desenvolvidos, principalmente os músculos peitorais, que ajudam no vigor do bater das asas. Estima-se que, em algumas espécies que realizam o voo, os músculos peitorais podem atingir 20% de toda sua massa corporal.

Respiração

As aves são animais com respiração pulmonar que se destacam pela presença de estruturas denominadas de sacos aéreos. Essas estruturas garantem maior leveza e permitem um maior suprimento de ar, o que garante a quantidade de oxigênio necessária para que a ave consiga produzir energia para a realização de suas atividades.

Excreção

As aves destacam-se pela ausência de bexiga urinária, o que torna seu corpo mais leve e, consequentemente, auxilia no voo. Esses animais também apresentam excreção de ácido úrico, um produto que não necessita de grande quantidade de água para que seja eliminado.

Reprodução

A reprodução desses animais também se relaciona com o voo. Alguns pesquisadores afirmam que, ao botar os ovos, a ave evita que seu peso aumente exageradamente e dificulte o voo. Além disso, é importante frisar que as fêmeas apresentam apenas um ovário, e as gônadas nesse grupo são pequenas, auxiliando na redução do peso.

Saiba mais: Conheça também a História Evolutiva das Aves!


Por Ma. Vanessa dos Santos

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Adaptações das aves ao voo"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/biologia/adaptacoes-das-aves-ao-voo.htm>. Acesso em 24 de setembro de 2017.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA